Arte: Rede Esportiva

O clássico por si só já é um fato mobilizador dentro de uma temporada competitiva. Isso ganha relevância ainda maior quando o mesmo representa o retorno do futebol aos estádios de Pelotas. Como ingrediente, temos um cenário de certa forma nivelado, pois ambas as equipes tiveram pouco tempo de trabalho, e seus respectivos atletas vêm de uma parada longa.

Dentro de uma situação de normalidade, antes mesmo da contratação de um atleta o clube busca algumas informações, como por exemplo há quanto tempo está parado, há quanto tempo não disputa um jogo oficial ou se vem mantendo a forma física de maneira apropriada.

A pandemia acabou por tornar essas anamneses quase desnecessárias, visto que praticamente nivelou o estado de treino dos profissionais, pois em se tratando de Rio Grande do Sul, todos estão há pelo menos 100 dias sem disputar um jogo.

Se a pré-temporada se faz necessária após um período regular de férias, algo em torno de 30 dias, com muito mais razão seria necessária após este período de ausência total de jogos e treinos.

Uma das funções desta pré-temporada é melhorar a forma desportiva como um todo. Não apenas fazer com que os atletas melhorem suas capacidades físicas, mas também que agucem sua capacidade cognitiva, sua capacidade de tomar decisões, afinal de contas o futebol é um esporte de tomada de decisões.

Se olharmos sob a ótica das Comissões Técnicas, o grande desafio, em especial por parte dos treinadores, será a operacionalização dos respectivos modelos de jogo fora das condições ideais, com atletas vindos de uma parada longa, comandantes iniciando uma caminhada em ambos os clubes e ausência de jogos amistosos, estes que são de fundamental importância para que os erros apareçam e sejam corrigidos, para que o treinador possa não apenas desenvolver sua ideia de jogo principal mas também trabalhar alternativas para o decorrer dos jogos.

Também a forma desportiva do atleta precisa de pelo menos cinco ou seis jogos para atingir um nível satisfatório, e todos estes fatores ficarão de fora justo na preparação para um clássico.

Visto que uma etapa fundamental da preparação será forçosamente abortada, caberá aos torcedores de ambos os clubes ter um pouco mais de paciência neste período inicial.

Se o Bra-Pel normalmente já é disputado com um fator emocional exacerbado por tudo que envolve o ambiente futebolístico da cidade, com muito mais razão desta vez veremos este fator ter um peso decisivo no clássico que se aproxima, e surgir como um compensador de eventuais lacunas na preparação de ambos.

Um comentário

  • Marcelo Xavier Guterres 15 / 07 / 2020 Resposta

    o Brapel é sem dúvidas um grande jogo! Porém, em virtude do momento atual, não consigo adentrar o espírito futebolístico do clássico.

Deixe uma resposta