Arte: Rede Esportiva

Passou do limite aceitável

Vivemos um momento perigoso em o ditado que diz “uma mentira contada diversas vezes, vira verdade”, está cada vez mais presente no cotidiano. A febre das fake news está mexendo demais com o imaginário das pessoas e, lamentavelmente, na maioria das vezes para o mal.

Mesmo com resultados de campo muito acima da média histórica, o atual presidente do Brasil, Ricardo Fonseca, é bombardeado com críticas, muitas delas justificadas e outras tantas carregadas de acusações infundadas e levianas, porque não vêm acompanhadas de comprovação alguma.

Se os problemas financeiros do clube são enormes, imaginem como seria se estivesse ainda na Divisão de Acesso Gaúcha, sem disputar nenhuma competição nacional.

Críticas a qualquer gestão são normais, o problema é o exagero e, como disse anteriormente, acusações graves sem qualquer tipo de comprovação. As ameaças, inclusive de morte, que o presidente recebeu através de pichações na frente do estádio, devem virar caso de polícia.

Não há como um pai de família ter tranquilidade sofrendo com esse tipo de intimidação.

O fim do ciclo e o futuro do clube

É inegável que os indícios são de final do ciclo do Ricardinho na presidência xavante. Esse é o último ano de mandato, mas cresce cada vez mais a possibilidade de uma antecipação da saída.

Os resultados conquistados, sobretudo nos últimos cinco anos, trazem consigo uma falsa ideia de que a gestão do clube é para qualquer um. Não é mesmo!

Se o clube arrecada muito mais que a maioria do interior gaúcho, por outro lado, aumentou muito as suas despesas. Em algumas situações pode até ser com equívocos de gestão, mas em muitos é para adaptação ao tamanho atual que ocupa no cenário nacional.

Pequenas arrecadações são importantes para apagar incêndios do dia-a-dia do clube, mas não será desta forma que o clube se tornará equilibrado.

Apontar defeitos e dizer o que precisa ser feito, as vezes é muito diferente do que corrigi-los colocando ideias em prática.

Ninguém é insubstituível, mas nenhum trabalho, principalmente de nove anos consecutivos e com os resultados que foram conquistados, pode ser desprezado.

Renovação diretiva

Jovens dirigentes já com alguns serviços prestados para o clube, surgem como possibilidades para a sucessão diretiva.

A eleição para a diretoria do conselho foi histórica e transcorreu em alto nível. Os dirigentes que assumiram, chegaram com a ideia de uma aproximação maior do dia-a-dia do clube e deste grupo talvez saia o novo presidente.

Em caso de renúncia do Ricardo Fonseca, quem herda o cargo é o vice Giovane Alcântara e se nenhum dos vices eleitos aceitar, vai para presidente do conselho que poderá antecipar as eleições.

Deixe uma resposta