Arte: Rede Esportiva

A pressão pela primeira vitória também sido adversária do Brasil no Gauchão. Contra o Esportivo, o time jogou melhor, criou situações para marcar, mas não teve qualidade nas conclusões.

As alterações promovidas por Gustavo Papa deram mais qualidade para equipe. Maicon na lateral-direita e Maicon Assis no meio campo, foram bem melhores que Ednei e João Henrique.

O problema maior segue no ataque. Wesley Pacheco que entrou no lugar de Eliel Cruz também não correspondeu.

O crucificado Nathan Cachorrão segue com dificuldades no acabamento das jogadas, mas foi o atacante xavante que mais apareceu. Ele teve vitória pessoal sobre a marcação, fez boas jogadas em velocidade, mas, na melhor oportunidade do jogo, perdeu no um contra um diante do bom goleiro Renan.

Evolução coletiva
Era de se prever as dificuldades no início da competição, em função do curto período de preparação, junto com a reformulação do elenco. No entanto, se o empate diante do Esportivo, como resultado foi frustrante, a atuação coletiva já melhorou consideravelmente.

O problema é que a competição é curta. Não há muito tempo para tropeços e a corda estica cada vez mais. Acredito que a sequência do time que iniciou na quarta seja a melhor alternativa para buscar a primeira vitória.

Claro que a parada na Serra contra o Caxias será duríssima e o adversário é favorito. Porém, não dá para ficar apenas esperando. É preciso também oferecer riscos ao adversário.

Reforços necessários

No mínimo um atacante que saiba fazer gols a direção precisará buscar no mercado. Se houver recursos, um meia armador também ajudaria bastante.

O mais importante é que, se for contratar, terá que ser realmente reforço e que chegue em condições de ser titular. Não dá para investir em jogadores iguais ou inferiores aos que já estão no elenco e até agora não corresponderam.

 

Deixe uma resposta