Imagem: Rede Esportiva

Não foram más as atuações da dupla Bra-Pel no retorno ao futebol, em meio a Pandemia. Os dois times demonstraram alguma organização tática e até enfrentamento equilibrado diante da dupla Ca-Ju. Porém, como ambos foram derrotados, aumentam a necessidade de vencer na próxima rodada.

Claro que não foram jogos de boa qualidade técnica, mas poucos têm tido após a parada em função da crise sanitária. Comparado ao período anterior a pausa, vi o Juventude muito melhor, o Caxias sonolento, o Pelotas melhor e o Brasil praticamente igual.

Lobo com chances na partida
O Pelotas teve um primeiro tempo bom, equilibrado, com posse de bola e até de superioridade em determinados momentos diante do adversário. Mas futebol é de quem faz mais gols e o Lobo não foi competente para aproveitar as chances que teve.

Na segunda etapa caiu de rendimento, deu chance para o Caxias crescer e acabou derrotado com um gol de bola aérea e outro de jogada individual de Bruninho, que entortou o lateral Marcelo antes de marcar.

O áureo-cerúleo pareceu um time mais organizado e com mais capacidade de controle de jogo. No entanto foi apenas o primeiro jogo de um grupo de trabalho praticamente todo novo e com pouco tempo de trabalho.

Para analisar com mais clareza o trabalho e o novo grupo, somente após uma sequência de jogos. Mas a evolução e convicção do trabalho só existirá se vierem associadas à bons resultados. Caso contrário, ainda que não tenha torcida nos estádios, a pressão retorna e tudo fica mais difícil.

Brasil com formatação diferente
A presença de Jacone entre os titulares na reestreia xavante foi uma surpresa positiva. Quando havia recebido oportunidades ainda com Gustavo Papa na lateral, não me agradou. Mas nessa função de volante pelo corredor achei que rendeu melhor.

O garoto demostrou firmeza e personalidade até para chegar na frente e quase marcou um gol.
Também é função do técnico, principalmente com jovens, identificar a melhor posição de acordo com as características.

Pelo que surge de informações a direção está acertando com um jogador para aquela função e o técnico Hemerson Maria falou em Souza e João Ananias, também para jogar por ali. Mas pelo que fez neste domingo, o menino também se credencia como alternativa.

O adversário foi superior, mas o Brasil também teve oportunidades de chegar à frente. Porém, dois dos que mais se espera, Gegê e Poveda, não foram bem, prejudicando muito a construção de jogo do rubro-negro

Deixe uma resposta