Arte: Rede Esportiva

O presidente Ricardo Fonseca revelou, em entrevista à rádio Pelotense, que no próximo ano os jovens da base terão mais espaço no grupo principal. De acordo com ele, o grupo principal em 2020 terá 18 jogadores de linha, dois goleiros e o restante da base.

Ainda que não seja apenas por convicção, que a nova estratégia seja muito em função das dificuldades financeiras, é uma excelente notícia.

Quando ainda era vice-presidente, em 2011, o atual presidente sempre deixou claro que o seu entendimento era que o melhor caminho para o clube seria a valorização da base e dos associados. Mas, por necessidade, precisou inverter o processo para, primeiro sair segunda divisão gaúcha e, aos poucos colocar as ideias em prática.

A questão dos sócios ainda não foi possível consolidar. Parte da torcida ainda busca vantagens para ser sócio e isso acaba dificultando o processo.

Já na base, além de alguns títulos em nível regional em diversas categorias após a retomada, conquistou a Copa RS sub-19 no ano passado e está na final do Gauchão sub-17, tudo em menos de três anos.

Além dos resultados

Evidente que os resultados na base respaldam os profissionais que desenvolvem o trabalho, mas o fundamental é que o clube consiga formar grupos profissionais com boa parte vindo das categorias de baixo.

Na maioria das vezes quando se inicia um trabalho de base, de maneira equivocada, gera-se uma expectativa de ganhos extraordinários imediatos com a negociação de jogadores.

Os grandes formadores não chegaram nesse patamar da noite para o dia. Até pode acontecer a queima de etapas em algum momento, mas será exceção à regra.

Da base xavante alguns jovens estão no profissional, um foi negociado e dois estão emprestados para a dupla Gre-Nal.

O saldo é positivo, mas a grande notícia do ano é a afirmação do atacante Cristian. Evidente que ainda oscila. No entanto já marcou dois gols na competição, um deles contra o gigante Vitória, e, tecnicamente, é um dos expoentes do grupo.

Fabio Borba é protagonista na formação

Embora ainda seja jovem, o ex-atleta de futsal e professor de educação física, Fabio Borba, tem feito um grande trabalho na coordenação da base rubro-negra. Estudioso e organizado, conseguiu dar um excelente padrão na estrutura de trabalho.

Óbvio que existem dificuldades, se faltam recursos ao profissional, respinga também na base. Mas somando esforços, aproximando abnegados com disposição e capacidade, Borba tem sido fundamental nos bons resultados.

Deixe uma resposta