O Brasil não jogou mal diante do Londrina. No primeiro tempo teve menos posse de bola, mas foi competitivo, com marcação forte e, mesmo que poucas vezes, chegou mais que o adversário. O problema foi o mesmo da estreia e que foi recorrente no Gauchão. Houve falha na marcação no lado direito com Ricardo Luz, e o atacante Anderson Oliveira, nos acréscimos da etapa inicial, marcou o único gol da partida.

No segundo tempo o Brasil até tentou, mas se expondo mais, foi o time paranaense quem apareceu com mais perigo na frente. O Xavante perdeu a segunda partida na Série B diante de um adversário de qualidades técnicas limitadas, mas que já tem seis pontos. A arrancada rubro-negra é preocupante, principalmente pelos poucos recursos técnicos do grupo.

Planejamento do Lobo exposto no Rede Esportiva
Excelente entrevista do presidente do Pelotas, Gilmar Schneider, à repórter Rafaela Tavares nesta semana (clique para ver a parte 1 e a parte 2). Ele falou do passado, do presente e do futuro áureo-cerúleo.

Embora não concorde com tudo que foi dito pelo presidente, principalmente na parte do futebol, concordo com as pessoas que dizem se tratar do melhor presidente do clube dos últimos tempos.

A visão empresarial e suporte financeiro que deu para sustentar as suas ideias revelam um futuro promissor para o clube.

O administrativo funciona muito bem, mas o futebol precisa de ajustes
Acho normal que Gilmar não queira contar com o trabalho do jovem Rafael Farias, em função da coerência no discurso. Mas, na entrevista, Schneider fala que deu carta branca para que o profissional buscasse jogadores qualificados para reforçarem o grupo na Copinha, pensando no Gauchão, e isso não teria acontecido. Ao mesmo tempo, elogia o trabalho do Sangaletti, justificando a dificuldade de contrações pelo calendário inadequado do Lobo.

Os destaques do Pelotas no Gauchão foram John Lennon, a dupla de zaga, Reinaldo Dutra, Makelele e o atacante Jarro. Destes, somente Makelele veio neste ano – os demais permaneceram do ano passado.

São Luiz, Novo Hamburgo e Aimoré têm o mesmo calendário que o Pelotas e fizeram campanhas melhores. O Pelotas lotou o grupo de paraguaios que não deram resposta. O Novo Hamburgo tinha um e foi destaque da competição.

Deixe uma resposta