Arte: Rede Esportiva

Com Rafael Grampola novamente à disposição, volta a discussão o posicionamento de Bruno Paulo e a opção até então de Rogério Zimmermann em utilizá-lo na referência do ataque.

O crescimento de Bruno Paulo na partida diante do Guarani, a melhor dele até aqui na competição, foi justamente quando saiu da faixa central para atuar na extrema trocando de posição com Branquinho.

Como o time melhorou muito tecnicamente, contribui para que o técnico tenha mais tranquilidade nas escolhas.
Grampola centralizado, com Bruno Paulo e Marcinho nas extremas, no meu entendimento, é a melhor opção.

A importante ausência de Bruno Aguiar na defesa, por suspensão, deverá ser suprida por Heverton, que mesmo acostumado com a competição tem menos recursos que o titular.

Hora do torcedor
O início do Brasil na Série B foi terrível, mas as duas vitórias seguidas nos últimos dois jogos, com grande atuação fora de casa diante do Guarani, justificam um respaldo maior do torcedor xavante na sequência de dois jogos em casa. Neste sábado, diante do Operário-PR, e, na terça, diante do Criciúma.

Contra o América-MG, o público já foi melhor do que nos confrontos anteriores, mas ainda bem abaixo do tamanho da competição e da necessidade do clube, tanto técnica como financeiramente.

É hora da torcida ser diferencial no Bento Freitas.

Jogos decisivos na base
A equipe sub-20 xavante iniciou muito bem o Gauchão, mantendo-se entre as primeiras até a reta final da fase classificatória, mas com o equilíbrio da competição e duas derrotas nas últimas rodadas, encerrou na oitava posição. Nas quartas de final, irá enfrentar o Grêmio em jogos de ida e volta. O primeiro já neste domingo, no Nicolau Fico, às 15h.

Mesmo não sendo um confronto desejado para esta fase da competição, é fundamental para o amadurecimento dos garotos competir pela vaga à semifinal diante de um adversário do tamanho do Grêmio.

Deixe uma resposta