Arte: Rede Esportiva

Não há dúvidas que o Pelotas irá passar com tranquilidade à próxima fase na Copa Seu Verardi. É provável, inclusive, que seja o primeiro colocado do grupo. Ainda que se diga que os investimentos sejam modestos, para o nível da competição o Pelotas está acima da média.

Estas obviedades, no entanto, não devem levar o Áureo-Cerúleo a chamada “zona de conforto”.

No ano passado a expectativa era a mesma e acabou se confirmando. Mas, mesmo sem ter perdido na primeira fase, não apresentou bom futebol e foi surpreendido pelo modesto Real de Capão da Canoa e acabou eliminado, logo no primeiro mata-mata.

Metade dos adversários na primeira fase são semiamadores

Vencer o 12 Horas e o União Harmonia deverá ser apenas protocolar. As duas equipes estão em processo de transição do amador ao profissional e estão muito abaixo tecnicamente. Qualquer tropeço diante desses adversários poderá gerar instabilidade. Claro que não se ganha de véspera, mas a diferença é gigante em todos aspectos.

Restam então nesta primeira fase Bagé e Cruzeiro, duas equipes bem mais tradicionais e que serão testes mais fortes. O Lobo já enfrentou ambos em casa e teve um empate e uma vitória. Mais que os resultados, é preciso analisar o desempenho. Nos dois o Pelotas foi superior, mas diante do Bagé não foi competente para vencer.

Modelo de jogo definido

Ainda que necessite de ajustes, o início do trabalho me agrada. A proposta de jogo é de posse de bola e transição compactada, sem investir muito na ligação direta.

Principalmente nos jogos diante do Bagé e Cruzeiro que acompanhei, achei o time ainda lento na transição, mas como tem jogadores qualificados para o nível da competição e ainda pouco tempo de trabalho, acredito que deva será corrigido, principalmente para a segunda fase.

Jean Roberto merece a titularidade

A ideia do técnico Felipe Endres é ter uma equipe de velocidade e essa é uma das justificativas para não utilizar Jean Roberto como titular. No entanto, ainda que não seja um jogador veloz, pela sua qualidade técnica e passe diferenciado, consegue dar dinâmica ao jogo e desequilibrar a marcação adversária.

No pouco tempo que esteve em campo diante do Cruzeiro, mostrou, mais uma vez, que tem bola para ser titular.

 

Deixe uma resposta