Não foi a estreia que a torcida xavante esperava, mas a derrota por 1 a 0 diante do Bragantino na arrancada da Série B não pode ser considerada como surpresa. Ao fechar parceria com a Red Bull, o time de Bragança tornou-se “o novo rico” do futebol brasileiro, com orçamento anunciado de R$ 2 milhões por mês, apenas no futebol. Além disso, com a parceria, o time para iniciar a competição nacional é base do RB Brasil, campeão do interior paulista.

Do outro lado, sem recursos financeiros para investimentos relevantes no futebol e com a base que brigou para não cair no Gauchão, o Brasil se abraça na capacidade do técnico Rogério Zimmermann de tirar mais do que se espera de alguns jogadores.

Elenco ainda limitado e sem padrão de jogo
Além de ter contratado pouco, a direção rubro-Negra optou por dispensar os dois jogadores de referência do ataque e ainda não repôs.

Diante do Bragantino, a falta de um jogador com esta característica foi visível. O adversário não foi amplamente superior, mas produziu suficiente para marcar o gol da vitória e ainda teve, pelo menos, mais duas oportunidades claras para ampliar. Foi um time mais sóbrio, com trocas de passes progressivas. Já o Brasil apresentou problemas defensivos nas laterais e atacou muito na individualidade, sem oferecer grandes riscos ao goleiro Júlio Cesar.

Erros do Gauchão se repetem e decidem a favor do adversário
Muito questionado no Gauchão, Ricardo Luz foi mantido na lateral direita e foi facilmente driblado no lance do gol adversário. Para pior a situação, Pará, lesionado, ficou fora do jogo e o substituto, Bruno Santos, também comprometeu defensivamente. Saiu lesionado, dando lugar a Ednei, que sofreu uma batida na cabeça e também deixou o gramado mais cedo.

Mesmo não sendo muito da característica de jogo do técnico Rogério Zimmermann, acho que Murilo Rangel mais recuado e Diogo Oliveira na articulação, como ocorreu na metade do segundo tempo, pode dar mais equilíbrio ao time.

Na próxima semana chega um atacante. Não foi revelado exatamente as características do novo reforço, mas é preciso que seja de área. Na sexta, Bruno Paulo foi utilizado mais entre os zagueiros. Por ali ele não rende, e o Brasil perde uma arma importante nas jogadas de extrema.

O próximo adversário será o Londrina. Um rival forte que acompanhou o Xavante nos acessos. Fora de casa, com a pressão em cima do adversário e sem a obrigação de propor jogo, é necessário que o Brasil consiga dar uma resposta melhor e busque, no mínimo, um empate.

Jarro estreia na Série B com gol e vitória
Menino humilde e batalhador, Jarro, que foi destaque do Pelotas no Gauchão, foi contratado pelo Atlético-GO. Em pouco tempo, já agregou no currículo uma participação em Copa do Brasil, o título do Campeonato Goiano e, logo no seu primeiro jogo na Série B nacional, entrou no segundo tempo e marcou o terceiro gol da equipe goiana na vitória por 3 a 1, fora de casa, diante do São Bento. Merece!

Deixe uma resposta