A euforia xavante pelos dois resultados positivos nas últimas rodadas é justa, principalmente pela excelente atuação diante do Guarani em Campinas, mas é importante entender, com base nos próprios números até agora da competição, que jogar em casa está longe de significar facilidade. Dos 59 jogos realizados, menos da metade, 25, tiveram vitória dos mandantes. Os visitantes venceram 16 e ocorreram 18 empates.

Mesmo com os já tradicionais treinos fechados, é difícil que alguma equipe apresente alguma surpresa muito relevante. Todos já se conhecem e a parte tática evoluiu, principalmente na diminuição de espaços. Propor jogo é muito mais difícil do que defender.

Comparado ao início ruim, o momento xavante é muito positivo, mas não será de qualquer jeito que conseguirá o resultado. É importante se impor como mandante, mas é fundamental ter equilíbrio para não ser surpreendido.

Antes contestados, agora valorizados
A arrancada ruim gerou uma série de desconfianças em torno da qualidade do grupo e, principalmente, das escolhas do técnico Rogério Zimmermann na definição dos titulares. Porém, os bons resultados e a melhora coletiva valorizaram algumas individualidades que vinham sendo contestadas.

O goleiro Carlos Eduardo e o meia Murilo Rangel, antes vilões, passaram a receber elogios por parte da torcida, com boas atuações diante do América-MG e do Guarani. Além deles, Sousa passou de improviso a solução na lateral. Outro protagonista nas duas vitórias, o atacante Bruno Paulo, provou mais uma vez que a sua posição é extrema. Quando jogou centralizado rendeu pouco, mas toda vez que saiu da área para a esquerda foi decisivo.

Base forte e promissora
O Brasil está fazendo bonito nas categorias de base. A equipe sub-20 tem tido bons resultados no Gauchão. Inclusive, venceu ao Internacional e empatou com o Grêmio.

No último domingo, com a presença do atacante Taison no CFA Xavante, a sub-17 rubro-negra foi derrotada pelo Progresso por 1 a 0, com as duas equipes classificadas à próxima fase. O rubro-negro da Tablada, comandado pelo técnico Lambari, fechou a primeira fase com 100% de aproveitamento.

Na sub-20 do Brasil, três dos destaques, o zagueiro Jacone e os atacantes Fabrício e Cristian, já assinaram contrato profissional.

Deixe uma resposta