Ainda sem o esperado atacante de referência, o Brasil volta a campo nesta sexta para encarar o Londrina fora de casa. A tendência é de mais um confronto complicado na Série B, já que a equipe paranaense vem de vitória fora de casa e é sempre forte nos seus domínios.

É visível a falta que faz um jogador de área no esquema de Zimmermann. Na estreia, o time até que teve posse de bola razoável diante de um adversário qualificado, mas não criou praticamente nada. Bruno Paulo, que garantiu permanência no clube até final de julho, é muito bom atuando como extrema, mas centralizado rendeu pouco.

Um novo tropeço em Londrina poderá aumentar a desconfiança da torcida e gerar uma pressão logo no início da competição.

Base forte novamente
Assim como no ano passado, quando foi bem no Gauchão e conquistou a Copa do segundo semestre, a equipe sub-20 xavante faz bonito na atual temporada. Na última terça-feira venceu o Inter por 3 a 2. Em seis jogos perdeu apenas uma vez e está em terceiro lugar no seu grupo. Na base, o mais importante é formar para o profissional, mas é mais fácil alcançar esse objetivo vencendo. Está mais do que na hora de experimentar os jogadores no grupo principal. Além de gerar economia, valoriza o trabalho. Óbvio que para aproveitar é preciso qualidade, mas os resultados têm sido uma boa demonstração do potencial.

Futsal terá clássico genérico neste sábado
O sábado será para acompanhar um Bra-Pel genérico no ginásio do DC Esportes. O Pelotas, que joga com o respaldo da direção do Lobão, conta com jogadores mais experientes e rodados como Daniel Carvalho e o artilheiro Rafael Almeida. Na estreia, venceu o Cruzeiro em Canguçu por 10 a 6. Já o Brasil, que não tem ligação direta com o Xavante porque o clube não quis aceitar o vínculo, se chama ABF (Associação Brasil de Futsal), tem o símbolo muito parecido com o do GEB e as mesmas cores. O grupo é formado por bons jogadores, sem a mesma grife do Lobo, mas também com obteve bom resultado na estreia. Venceu a ATF de Santa Vitória por 5 a 4.

Certamente teremos lotação no ginásio e um bom jogo. É o resgate do nosso tradicional futsal, que ainda tem o Paulista jogando o estadual em outra competição.

Deixe uma resposta