Imagem: Rede Esportiva

O Pelotas estreou na Série D em casa, diante do Marcilio Dias, que fez um bom campeonato catarinense e que tem a expectativa de uma boa campanha na competição nacional. Mas, com o volante Diego Silva expulso aos cinco minutos do primeiro tempo, o Marinheiro reduziu muito as possibilidades de uma boa estreia na Boca do Lobo.

Por outro lado, mesmo com um jogador a mais durante praticamente todo jogo, o Lobo teve uma posse de bola inócua, produziu muito pouco ofensivamente e só conseguiu marcar no final do jogo, num gol contra do zagueiro Lucas Castilho.

Se atuação não foi boa, o resultado foi excelente. Arrancar com vitória, além dos três pontos na tabela, tranquiliza um pouco mais para a sequência na competição.

Jogar bem ou vencer?
Esta é uma dúvida recorrente no futebol. É obvio que o mais importante é vencer. Mas conseguir uma boa sequência sempre jogando mal é, no mínimo improvável.

Quando a produção não é boa e o resultado é positivo, não dá para “tapar o sol com peneira”, os erros devem ser identificados a sequência de treinamentos deve servir para corrigi-los.

Cada um tem a sua maneira de enxergar futebol e, no caso dos técnicos, elaborar as suas estratégias para buscar os objetivos. Eu prefiro equipes que jogam para fazer gols, num futebol mais apoiado, valorizando a posse de bola com objetividade.

Porém, ao analisar os jogos, prefiro procurar entender a proposta do técnico e se a estratégia deu resultado no rendimento. Ou seja, soube se defender e criou oportunidades para vencer.
Analisando apenas o jogo diante do Marcilio Dias, fica a preocupação com a incapacidade ofensiva, mas foi apenas o primeiro jogo e é preciso observar a sequência para arriscar uma previsão da capacidade do grupo.

Destaque do jogo
Em uma nova função, jogando de zagueiro, Mateus Santana foi o destaque da partida no lado áureo-cerúleo. Ele teve a vida facilitada pela expulsão de um jogador do Marcílio no início do jogo e a proposta que passou a ser mais defensiva do adversário, mas foi firme e bem tecnicamente.

Deixe uma resposta