O esperado equilíbrio da equipe xavante ainda não veio. Além das três derrotas nas três primeiras rodadas da Série B, o time está rendendo pouco tecnicamente e não consegue se impor dentro de casa. Não há dúvida que o mais importante é vencer a primeira, mas é mais provável alcançar este objetivo jogando melhor.

Com Rafael Grampola em condições, a expectativa era que o centroavante tivesse iniciado o confronto diante do CRB, já que não há no grupo outro jogador da mesma característica, como referência no ataque. Mas, Rogério Zimmermann optou, assim como na primeira rodada, por Bruno Paulo mais adiantado e Grampola no banco. Novamente a resposta não foi boa e, além de ter ido para o intervalo com a derrota por 1 a 0, o goleiro Carlos Eduardo ainda foi protagonista.

O CRB voltou a marcar no início do segundo tempo e garantiu a vitória. O Brasil até melhorou com as alterações, mas não foi suficiente para sequer descontar no placar.

Além de melhor tecnicamente, é preciso mais atitude
Desde que subiu para a Série B, o Brasil foi sempre um time de imposição, compensando muitas vezes a inferioridade técnica com aplicação tática e valorização do fator local, mas, neste ano, as dificuldades foram enormes já no Gauchão e seguem no Campeonato Brasileiro. O retrospecto em casa no ano é preocupante. Até agora foram oito jogos e apenas uma vitória: 2 a 1 no clássico Bra-Pel. Nos demais, foram cinco derrotas e dois empates. Sofreu 14 gols e marcou somente quatro.

Necessidade imediata de reação
A Série B deste ano não tem nenhum clube do primeiro escalão nacional e apresenta um equilíbrio maior em relação às competições recentes. Não se observa neste início nenhum time muito acima da média, mas só o Brasil ainda não pontuou. O jogo desta terça, mesmo sendo em Florianópolis, obriga o Xavante a, pelo menos, não perder.

Base segue forte
Se no profissional os resultados não estão bons, a base segue fazendo bonito. Nesta segunda a equipe sub-20 goleou o Nacional por 13 a 0 e assumiu a liderança da chave. Fabrício já é uma realidade, Jacone e Cristian já assinaram contrato profissional e outros começam a despontar.

 

Deixe uma resposta