Arte: Rede Esportiva

Dizer que surgem muitos talentos para o futebol em Pelotas e região é “chover no molhado”. Mas é sempre oportuno lembrarmos da incapacidade dos clubes profissionais da cidade de aproveitá-los.

Foguinho, que é um dos destaques do Caxias desde a ótima campanha no Gauchão, irá enfrentar o Manaus do zagueiro Patrick Borges, o Turuçu, nas quartas de final da Série D, valendo o acesso. Ambos foram revelados pela base do Pelotas e precisaram procurar outros rumos para seguir a carreira.

Sou de um tempo em que, tanto o Pelotas quanto o Brasil tinham em seus elencos, no mínimo, metade dos atletas formados na base. Além de representar economia, esse maior aproveitamento de jovens deixava as equipes com mais identidade, formando grandes equipes.

O famoso time xavante de 1985, que chegou ao terceiro lugar do Brasileiro, tinha vários jogadores formados no clube.

As principais campanhas do Pelotas também tiveram jogadores da base no elenco. O Lobo ainda revelou Michel Bastos, que brilhou no Exterior e gerou receita para o clube.

Progresso ainda é o clube mais profissional da base 
O futsal de base em Pelotas é muito forte e possibilita a evolução técnica e tática dos jovens. Nos últimos anos, quem tem aproveitado muito mais garotos oriundos dessa modalidade é o Progresso. Atualmente, aliás, o clube de Alcyone Dornelles é o maior revelador e investidor do futebol de base.

O Progresso é amador, mas é mais profissional na base que a dupla Bra-Pel. O Brasil melhorou muito, mas ainda precisa potencializar mais o trabalho. Precisa de mais integração com o profissional.

Com pouco tempo, Brasil já e vitrine, mas precisa valorizar mais a formação
Com pouco tempo de trabalho, o Brasil já negociou Chrigor com o Red Bull, emprestou Luiz Henrique para o Inter e agora Fabrício para o Grêmio. Já é um grande passo, mas, como disse, precisa integrar mais a base com o profissional.

Ainda contrata jogadores que rendem pouco, oneram o clube e inviabilizam a utilização dos jovens. Falta coragem para a direção se posicionar mais forte em relação à política de valorização dos jovens.

Pelotas precisa retomar o investimento na formação
O Pelotas não tem investimento algum. Tem muito empenho e mantém a marca do clube forte disputando diversas competições. No entanto, na idade que se revela, nas categorias sub-17 e sub-20, não investe e acaba perdendo muitos jogadores. Fruto do acaso, acabou redescobrindo o atacante Jarro, que havia sido da base, rodou pelo futebol uruguaio, retornou ao clube quase que para compor o grupo e acabou sendo o principal destaque do Lobo no Gauchão.

Deixe uma resposta