Ninguém melhor do que Rogério Zimmermann, símbolo maior das principais conquistas recentes do Brasil, para reverter o clima de pessimismo após a decepcionante campanha no Gauchão.

É evidente que somente a presença dele não será suficiente para uma boa campanha na Série B, mas ele já demonstrou grande capacidade de fazer muito com pouco. E, neste momento, é o que o Brasil tem. A base que não foi bem no Campeonato Gaúcho permanecerá e os recursos para contratações são escassos.

Na chegada, usando um discurso forte e o seu poder de persuasão, tratou de blindar o presidente Ricardo Fonseca e o executivo de futebol, Carlos Kila, principais alvos das críticas da torcida. Achei uma medida inteligente. Ele vai precisar, e muito, dos dois para respaldar o seu trabalho de campo.

Lobão no caminho certo administrativo, mas ainda com dificuldades no futebol
A avaliação é do presidente Gilmar Schneider sobre a campanha do Pelotas no Gauchão: mesmo ficando apenas na nona colocação entre 12 participantes, o principal objetivo, permanecer na Primeira Divisão, foi alcançado.

O clube está realmente se estruturando, zerando dívidas e apresentando uma perspectiva positiva na evolução estrutural. Mas a gestão no futebol para o Gauchão falhou. A maioria das contratações não pôde ser considerada reforços. No ataque, por exemplo, os que chegaram recebendo até cinco vezes mais foram reservas de Jarro. Este, aliás, a grande notícia do Lobo no Gauchão.

Acertado com o Atlético-GO, o atacante foi protagonista no Estadual se destacando, principalmente, nos jogos com a dupla Gre-Nal e no clássico Bra-Pel. Como o vínculo com o Pelotas foi por empréstimo – os direitos federativos pertencem ao Albion, do Uruguai -, porém, não existe possibilidade de retorno financeiro para o áureo-cerúleo em futuras negociações.

A meta do Pelotas é disputar competições nacionais, mas para isso precisa estruturar melhor o futebol.

Tricolor colhendo o que plantou
Com dificuldades financeiras enormes, o Farroupilha demorou demais para iniciar a preparação visando a Divisão de Acesso. Contratou tarde, apostou equivocadamente num técnico com histórico problemático e, 15 dias antes de iniciar a competição, teve que trocar.

Mesmo apresentando organização tática e alguns bons valores individuais, o time carece de qualidade e poder de decisão. Escapar do rebaixamento é tarefa praticamente impossível.

O jovem lateral-direito Dênis chama atenção. Tem boa qualidade técnica e, quando utilizado numa linha mais ofensiva, também dá boa resposta.

Deixe uma resposta