Imagem: Rede Esportiva

Hoje tem Confiança e Brasil. Um jogo enredado, onde ambos precisam de qualquer jeito da vitória. Em uma partida de iguais, como é a partida de hoje, é preciso repetir o surrado, batido, mas necessário, bordão: É jogo para erro zero. Expliquei ontem, no Prorrogação, da Dez FM, e o faço de novo aqui: vejo, neste momento, Brasil e Confiança em parâmetros parecidos em diversos quesitos. Acaba sendo um jogo “vencível”, porém longe de ser simples. Justamente pela conjuntura do jogo, faz com que, por parte do Brasil, o nível de atenção tenha de ser alto, e o de entrega mais ainda. É proibido errar. Atentemos quanto à isso. Sempre.

Porém, mesmo com a importante partida de hoje, meu assunto com vocês é outro: vocês se deram conta no emaranhado de jogos, em quase um mês, que o Brasil tem? Vejamos: o Xavante jogou na noite do sábado passado contra o Vasco. Ainda no sábado foi até Porto Alegre para dormir e, na manhã seguinte, viajar até Sergipe, onde enfrenta o Confiança hoje. A volta para o estado ocorre amanhã. A previsão de chegada na Princesa do Sul está prevista para o final da noite. Ah, ok. Os atletas irão descansar em casa. Sim, eles dormem em casa, mas após o almoço de quinta eles entram em regime de concentração para enfrentar o Goiás na sexta, na Baixada. Após isso, no domingo, a delegação Xavante volta até a capital dos Gaúchos, onde ruma até a belíssima Maceió, onde, na terça à noite, enfrenta o CRB. Após o jogo no Rei Pelé, faz o trajeto de volta, e na sexta já recebe a Ponte Preta. Acabou aí? Não! Na terça, a missão dos comandados de Cláudio Tencati é em terras catarinenses. O oponente será o Brusque, que faz um bom começo de competição. Enfim, chegamos ao sábado, 3 de julho, um sábado pela manhã, quando o Brasil receberá o Cruzeiro na Baixada. É uma maratona eletrizante, com jogos dificílimos, onde, nesse meio tempo, serão muitos quilômetros rodados (e “voados”). Não há dúvidas de que será mais um obstáculo a ser ultrapassado.

Vejo o quadro com preocupação, pois já gostaria de ter visto um esboço de alguma coisa no Brasil. E ainda não foi possível. Vejo escolhas erradas, e, consequentemente, uma ideia coletiva de jogo inconsistente até o momento.
A necessidade urgente do Brasil é a obtenção de resultados, e, para isso, seria aconselhável que Tencati dê sequência a uma formação de time titular que tenha os melhores. E, quando as intempéris, passarem, e todos estejam à disposição, essa formação tem de ter Kevin, Denilson, Jarro, Gabriel Terra (ou Lucas Santos), Netto (sim!) e Ramon. A formação titular com essa turma precisa começar a ter sequência para termos a chance de ver se dará certo. Convenhamos que agregando qualidade, é a maior chance de se ter sucesso. E no atual momento do Brasil, a base mais esse pessoal é o que se tem de melhor.

E no meio desse amontoado de jogos em tão pouco tempo, creio que fechamos que é gritante a urgência dos melhores estarem em campo assim que possível.

———————————
Agradeço às inúmeras manifestações que venho recebendo, desde ontem, após minha primeira participação no programa Prorrogação, na Rádio Dez FM. É apenas o começo de uma trajetória que espero ser longa. O Prorrogação ocorre nas segundas e quintas-feiras, e pode ser acompanhado pelo 91.9 FM, app’s de rádios ao vivo (e no da própria rádio) e no rádiodezfm.com.
Ate quinta!

MERECE PALPITE

Pela Eurocopa, às 13h tem Hungria e Portugal. O palpite vai no time de Cristiano Ronaldo, que tem odd de 1.44.
Já no jogo de fundo, um mega clássico entre França e Alemanha. Em um jogo desse tamanho, por mais que a França seja a principal seleção da atualidade, prefiro apostar, pela magnitude dos dois lados, que ambos marcam (odd 1.79), na famosa “bola de segurança”. Acesse a KTO, faça seu cadastro e saia palpitando com as nossas dicas!

Deixe uma resposta