Imagem: Rede Esportiva

É bem verdade que falei sobre o jogo na coluna de ontem, porém, é impossível não seguir comentando de Londrina e Brasil, sem falar sobre mais uma atuação de luxo de Matheus Nogueira. O goleiro, mais uma vez, foi protagonista, e, com defesa de pênalti e mais dois ou três milagres, e ajudou diretamente pelo ponto conquistado no final de semana.

Não tenho dúvidas que, mesmo contestado por uma pequena parcela da torcida e imprensa em um passado recente, Nogueira já entrou no rol dos bons goleiros que vestiram a camisa 1 Xavante nessa era contemporânea. Aliás, essa turma, de 10 anos para cá, conta com Vanderlei, Luiz Muller, Eduardo Martini, Marcelo Pitol, Carlos Eduardo e Rafael Martins. Respeitável, não?

Outro ponto inquestionável é o trabalho excepcional do preparador de goleiros do clube, Alex Lessa, que substituiu o lendário Carlos Garcia, e segue com o trabalho de excelência com os arqueiros do clube. Claro que cada um tem seu grau de importância no “altar Xavante” porém, Matheus Nogueira já vem demonstrando, há algum tempo, que precisa do cantinho dele, pois, como seus antecessores, ele vem fazendo o possível, em um time que é constantemente atacado nos embates da Série B. Na partida do domingo, além de ter defendido o pênalti de Anderson Safira com muitos méritos – claramente viu-se que ele esperou até o último momento para definir o lado que saltaria para fazer a defesa – Matheus fez grandes defesas, mostrando que além do reflexo apurado, vem aperfeiçoando seu bom senso de colocação. Imaginem se o Brasil tivesse um goleiro que não fosse seguro…

O quadro do rubro negro da João Pessoa segue sendo extremamente difícil. O Brasil precisará de aproveitamento muito alto para sair da situação que encontra-se. Porém, para isso acontecer, uma série de fatores terá de começar a aparecer. O principal ponto é a efetividade. Na defesa e no ataque. No ataque será necessário ter repertório para criar ainda mais chances do que foi visto na última rodada, onde já se viu uma leve melhora, mas após criar, é necessário ter capacidade e competência para colocar a bola na rede. Já outro ponto é ter a consistência defensiva necessária para sofrer ainda menos gols. Lembro o que falei aqui em alguma coluna dessas: o Brasil andou fazendo bons jogos até sofrer o primeiro gol. Depois que sofre o gol, se “desmonta”. Porém, convenhamos, na missão de evitar os gols, muitas vezes a reza da torcida Xavante vem dando certo. Para quem se apega à todos os santos, a “forcinha” de São Matheus é inegável.

MERECE PALPITE
Hoje, as 16h, PSV e Benfica se enfrentam pelos Playoffs classificatórios da Champions League. Com odd altíssima(3.50), o palpite fica por conta da vitória do time visitante, comandado por Jorge Jesus.

Deixe uma resposta