Imagem: Rede Esportiva

Nunca fui afeito para com as frases feitas. Acho-as surradas, e pela maneira que o futebol acontece atualmente, não consigo achar que elas caibam em tal realidade. Porém, devido aos acontecimentos de ontem para hoje, não havia outra frase para começar essa coluna: futebol é dinâmico.

A informação que eu tinha, e que era a mesma do amigo Fernando Monassa, era de que as coisas estavam se acomodando para que tivéssemos, em um futuro próximo, a dupla Evanio Bandeira, como presidente, e Ricardo Fonseca, como vice de futebol. Porém, tudo muda rápido, e isso não deve ocorrer mais.

Ontem, acompanhando o Twitter, vi informações daqueles que julgo serem os melhores e mais bem informados setoristas do Brasil na atualidade: Marcelo Prestes, da Rádio Universidade, e Fernando Monassa, da Rádio Pelotense, nos quais davam conta em que a candidatura de Evanio Bandeira teria perdido força nos bastidores Xavante.

Segundo os amigos, a questão da recente posse da presidência do Conselho Deliberativo do clube, e uma eventual renúncia para concorrer ao cargo de presidente, por parte de Evanio, não pegou bem entre os colegas de mesa diretiva do Conselho, o que fez com que a tendência agora seja o cumprimento do mandato no órgão máximo do clube.

A partir desse momento, novos nomes surgem como o de Giovani Alcântara, ex vice de futebol da gestão Ricardo Fonseca, e o de Eduardo Fagundes, ex assessor especial da presidência. Fagundes, inclusive, já confirmou ao próprio Monassa, que deve ser candidato à presidência.

Outra questão que chama a atenção é a possibilidade de eleição. O vice presidente do departamento jurídico do clube, o dr Eduardo Szechir, falou sobre isso, na Pelotense:
“O novo Presidente do clube que será eleito ficará até setembro de 2022 e depois, novas eleições. Meu sentimento é que teremos disputa entre duas ou três chapas, a não ser que aconteça uma composição.”

Lembro que eleição para a direção do Brasil não ocorre há muito tempo. Quando da eleição de Nilton Pinheiro, ela quase ocorreu, porém, Giovani Alcântara, que era um postulante ao cargo, acabou não protocolando sua chapa para a eleição. De outro modo, em 2019, para o Conselho Deliberativo, tivemos eleição no voto, onde João José Cruz venceu Nilton Pinheiro por larga vantagem.

Vejo o processo eleitoral com naturalidade é algo salutar ao clube, desde que ocorra dentro da normalidade e dos limites do aceitável. Se ocorrer, espero que seja dentro desse padrão, e que o maior vencedor seja o clube, que após o que foi visto em 2021, precisa de um presidente que seja um pacificador e que unifique o clube.

MERECE PALPITE
Neste feriado existem dois jogos pelo Brasileirão que podem fazer com que tenhamos a possibilidade de fazer uma aposta acumulada interessante: Bragantino x Atlético Goianiense e Bahia x Palmeiras. Apostar nos favoritos(Bragantino e Palmeiras) pode ser um bom palpite:a KTO tem odd de 1.73 do Bragantino e 2.37 do Palmeiras. Vale a pena.


Os textos desta coluna são de responsabilidade do autor e não representam, necessariamente, a opinião dos editores do site.

Deixe uma resposta