Imagem: Rede Esportiva

Na partida de amanhã, quando o Brasil enfrenta o Brusque, no interior catarinense, o desafio é duplo: o primeiro, lógico, é vencer. É muito necessário conseguir o resultado, afinal, o Brasil encontra-se na zona de rebaixamento. O outro, que pode facilitar na vitória, é seguir a evolução já vista no empate contra a Ponte.

Antes do último jogo eu já havia dito que me agradava da ideia de ver o Brasil com dois volantes e dois meias. E deu certo.

Apesar de ser admirador confesso de Bruno Matias, confesso querer ver mais da dupla Romulo e Wesley. Não são um primor de técnica e qualidade, até pelo fato de isso ser secundário dentro da função que os dois exercem, mas se mostraram fortes, protegeram bem a defesa e deram liberdade ao quarteto de frente. Outro ponto no qual vejo como importante manter a dupla, é de que, no jogo de amanhã à noite, o Brusque deve vir para cima, e o Brasil, com os problemas defensivos que já conhecemos, precisa ter a linha de zaga bem protegida. A diferença pode acabar sendo na movimentação do pessoal da frente. Fabrício e Lucas Santos terão função importante defensiva. Eles terão de bloquear as subidas dos alas do Brusque, pois não creio em uma postura passiva do clube catarinense dentro do Augusto Bauer.

Evoluir consiste em repetição do que vem começando a dar certo, para que outros pontos possam ser ajustados, então, por mais que saibamos das dificuldades, seria importante ver novamente um Brasil compactado, forte no meio campo e sendo eficiente. Se não terá tanto espaço e tempo com a bola como teve contra a Ponte, será fundamental não desperdiçar as oportunidades que aparecerem. Além disso, tenho convicção que Tencati dará atenção necessária aos ajustes no sistema de defesa que vão desde o encaixe da marcação até a bola aérea defensiva. Seguir evoluindo pode ser um atalho para uma vitória que seria muito importante nas atuais condições. Torço por isso.

MERECE PALPITE

Inglaterra e Alemanha se enfrentam hoje em partida que promete ser um excelente jogo de futebol. Será um jogo aberto, e apostar que ambos marcam (1.86) pode ser uma boa aposta.


Os textos desta coluna são de responsabilidade do autor e não representam, necessariamente, a opinião dos editores do site.


Deixe uma resposta