Imagem: Rede Esportiva

Todos sabemos que jogar contra o Vasco, independente do campeonato ou divisão, é osso duro. Já prevíamos isso, por mais que o time da Cruz de Malta, atualmente não seja nem próximo do que já foi nos seus tempos áureos, de Barbosa, Roberto Dinamite, Juninho, Edmundo e Romário. Seria um jogo enredado, mas que não era proibido pensar em vencer, pois, se o Brasil não atravessasse a melhor das fases, os comandados de Marcelo Cabo vivem situação igual. Ou pior.

Com desfalques por Covid, o Brasil entrou com Gabriel Terra e Ramon. E foi bem. Conseguiu ter a posse de bola, e contra um Vasco extremamente frágil, principalmente defensivamente, foi ao intervalo vencendo por 1 a 0, e pela extrema aplicação tática, poderia ter feito mais de um gol no primeiro tempo, além do gol contra marcado por Ernando. Se não era uma atuação de encher os olhos, era uma atuação consistente, que dava mostras de que, na noite de sábado, o Brasil poderia ter sua primeira vitória na competição.

Na segunda etapa, mesmo tendo mais posse de bola, o Vasco pouco fazia. Jogadores de bom nome, e cartaz no futebol brasileiro, como Marquinhos Gabriel e Germán Cano, pouco apresentaram, muito pelo fato de não terem espaço para conseguirem jogar. Até aí, tudo certo. O jogo era complicado, mas estava à feição do Brasil, e razoavelmente controlado.

O quadro mudou à partir do momento em que as trocas de Claudio Tencati começaram a acontecer. Lá pelos 25 minutos, o que se viu foi uma enxurrada de jogadores de característica defensiva no campo de jogo, e o Brasil, abrindo mão da partida cedo demais. Recuou, recuou, recuou… e o Vasco, mesmo jogando muito pouco, começou a pressionar e ganhar espaço.

A virada carioca aconteceu com dois gols em dois minutos, e, mesmo cheio de marcadores, o Xavante tomou dois gols. Em erros de marcação. Daniel Amorim e Morato estavam completamente livres quando marcaram para o clube da Cruz de Malta.

No final das contas, não dá para dizer que não foi justo. Em uma partida onde estava à feição para vencer, o excesso de zelo defensivo por parte do Brasil na reta final da partida, fez com que a vitória dos comandados de Marcelo Cabo tenha sido justa, exatamente por isso. Ao Brasil, não há tempo de lamentar. Amanhã, já existe oportunidade de dar a volta por cima, contra o Confiança, fora de casa. A maratona de jogos já começou, e todo ponto conseguido será de fundamental importância.

Convite: hoje, estarei estreando na Rádio Dez, no 91.9 FM. Estarei no programa Prorrogação, às segundas e quintas-feiras, falando de futebol, agora no FM. Conto com vocês.

MERECE PALPITE

Pela Eurocopa, a Espanha (odd 1.40) enfrenta a Suécia e deve confirmar o favoritismo. Já pela Copa América, o mesmo deve acontecer com a Argentina, de Lionel Messi, contra o Chile. Os hermanos tem odd muito boa: 1.77. Acesse KTO.com e dê os seus palpites.

Deixe uma resposta