Imagem: Rede Esportiva

Cleber Gaúcho teve o que todo treinador sonha: (bastante) tempo para treinar. O tempo entre a última partida e o jogo contra o Goiás foi considerável, e, para quem passa por maus bocados na Série B, isso não pode ser considerado uma má notícia. Tempo para trabalhar realmente não faltou.

Ao que tudo indica, Cleber deve optar por se resguardar defensivamente, o que acaba sendo prudente. O adversário é muito forte, briga pela liderança junto com o Coritiba, e é vocacionado ao ataque. É bem verdade que, historicamente, o Brasil tem tido boas jornadas contra o Goiás, e no primeiro turno, o time Xavante teve boa atuação e venceu o Esmeraldino na Baixada, mas… A realidade é dura. E todos sabemos disso.

Vamos combinar que, tecnicamente, o Brasil vem dependendo dos lampejos de Rildo, que é – disparadamente – o exponencial técnico do time, de alguma bola parada e de Erison, que já provou conhecer do riscado, e é da área. E só. Então, não dá para achar de todo mal ir até Goiânia com o sistema defensivo mais encorpado, e apostar em especulações ofensivas. É a melhor maneira de se jogar? Não, mas é hora de pragmatismo.

Já reiterei por diversas vezes que a situação é crítica. Isso não precisa ser muito esperto para saber. Porém, creio que aquele padrão já visto de maneira recente no time rubro negro, somado à uma dose de pragmatismo, pode acabar dando certo. Aguardemos.

MERECE PALPITE
Hoje, às 19h, o líder Coritiba recebe o Vila Nova, no Couto Pereira. Amplo favorito, a kto.com está pagando odd de 1.76. Vale a pena!


Os textos desta coluna são de responsabilidade do autor e não representam, necessariamente, a opinião dos editores do site.

Deixe uma resposta