Imagem: Rede Esportiva

Como falamos ontem, não esperem mudanças bruscas no time do Brasil que começará a série B na sexta, contra o Londrina. Cláudio Tencatti deve mandar a campo uma formação próxima daquela que atuou pelas últimas rodadas do Gauchão.

Mas meu assunto aqui hoje não é o jogo da tarde de sexta, e sim algo mais abrangente. Pensar em um novo Brasil não é pensar em Netto como meia central, pois ele é um ponta. E nem pensar no jovem Paulo Victor, que, pelo o que mostrou no Gauchão, deve ser reserva. O Brasil busca um camisa 10 no mercado.

O 10 geralmente é o ponto central do time. O craque. O cara das bolas paradas. Aquele que o resto do time corre para que ele jogue. Lembraram dele né? O jogador que o Brasil precisa é da turma de Luizinho Vieira, Silvera, Marcos Paraná, Matheus Oliveira, Rafinha e Diogo Oliveira. Pelos exemplos citados, já deu para ver que não é um nome tão simples de achar, mas, pelo o que me consta, esse vem sendo tema de procura constante por parte dos integrantes do departamento de futebol do Brasil.

Esse 10 quase foi Renan Bressan, do Juventude, que supriria a demanda necessária para o setor. Porém, bom jogador e com currículo, Bressan não é um jogador barato e o Xavante não conseguiu fechar com ele.
Apesar de o último camisa 10 ter sido um jovem – Matheus Oliveira – e um alvo recente também ser de pouca idade – Lucas Santos, do Vasco – creio que o ideal para o atual momento fosse um jogador de maior experiência.
Boa parte dos jogadores que o Brasil vem negociando de clubes maiores são jovens. Por isso, creio que para essa função específica, que é das mais importantes, o ideal era que se fosse além de um bom jogador, que fosse um jogador rodado, com experiência e que possa ser uma liderança positiva, ao menos esportivamente.

Pelo pouco que sei até agora sobre o assunto, é que esse para essa função, o nome que a direção negocia seria um jogador experiente e de ótima qualidade. Ainda bem. Aguardemos!

MERECE PALPITE
Amplamente favorito, o Atlético Mineiro enfrenta o modestíssimo Deportivo La Guaira, em Belo Horizonte. A odd paga pela KTO é 1.23, e pode não ser considerada tão alta, porém, é a chamada bola de segurança. Para uma aposta simples ou para compor em uma aposta acumulada.

Deixe uma resposta