Imagem: Rede Esportiva

A notícia de ontem foi a de que o presidente Nilton Pinheiro pediu licença do cargo. Segundo os colegas Fernando Monassa e Gustavo Louzada o motivo do pedido seria uma licença de saúde, e após o aparecimento da notícia, logo em seguida surgiu que o prazo seriam de apenas três dias.
Inicialmente, deixo aqui minha solidariedade ao presidente, e os votos de que ele tenha uma breve e plena recuperação. Por mais que o prazo inicial – não confirmado pelo clube – seja curto, é um indicativo de que a saúde do presidente pediu um tempo. E quando o corpo responde às questões do dia a dia, é necessário parar e dar esse tempo ao organismo.

O presidente é como um torcedor qualquer, que vibra e sofre com o que ocorre dentro do campo. E no caso atual do Brasil, o que os resultados mostram, é de que todo e qualquer torcedor vem sofrendo bastante. Além disso, o presidente tem outras tantas responsabilidades, na qual, uma das principais é “assinar na ponta esquerda”: cuidar das finanças, onde o Brasil também passa por quadro delicado, com poucos sócios adimplentes e em meio à crise financeira que assola o país. Não é simples.

Além disso, por mais que eu venha discordando frontalmente de inúmeras decisões tomadas pelo presidente, principalmente no que diz respeito ao futebol, pois ele entregou missões cruciais do clube para uma pessoa que não tinha capacidade para tal, me solidarizo com ele. Antes da figura do presidente, sempre lembro que existe um pessoa, um pai e avô de família, que merece respeito, bem como seus familiares. Tenho certeza que, por mais que eu não saiba os motivos da licença, questões emocionais avolumaram o problema. Perfeitamente normal. Fica aqui meu desejo de que o presidente tenha uma breve recuperação, bem como a do Xavante.

MERECE PALPITE
Hoje, às 21h, pelo Campeonato Argentino, o Boca Juniors recebe o Defensa y Justicia, em La Bombonera. A vitória dos Xeneizes na kto.com tem boa odd: 1.66. Vale o palpite.


Os textos desta coluna são de responsabilidade do autor e não representam, necessariamente, a opinião dos editores do site.

Deixe uma resposta