Foto: arquivo pessoal / Marcos Planela

Neste sábado (25) o Pelotas Phoenix, equipe de futebol feminino – parceria entre o Esporte Clube Pelotas e Projeto Phoenix de Futebol – completa 24 anos de uma história repleta de superação, conquistas e tradição. O projeto coordenado por Marcos Planela é referência no estado e revela jogadoras para o mundo.

Em entrevista ao Rede Esportiva, Planela comemorou os anos à frente do projeto. “A satisfação é grande, por estar praticamente todo o tempo de evolução deste processo, já que tive apenas uma breve saída em 1998, de mais um menos um semestre, onde passei pelo Gramadense, de Gramado. Foram muitas etapas, neste período todo, enfrentando dificuldades, falta de visibilidade, preconceito e limitações enormes de recursos. A continuidade e persistência tornaram-se uma marca”, comentou.

Questionado se haveria algum momento especial para ser relembrado, Planela comentou sobre os feitos. “Difícil resumir 24 anos em um único momento. Foram muitos e, sem falsa modéstia, várias conquistas, também. Elas e a revelação de jovens talentos, firmaram a imagem das Lobas. Mas, para o projeto, o título de Campeão Gaúcho Adulto, invicto, em 2008, contra o então, tri-campeão (EC Juventude, de Caxias), foi um divisor de águas e para mim, a passagem pela Seleção Brasileira sub 17, como auxiliar-técnico, em 2009”, lembrou.

Equipe campeã gaúcha em 2008 (Foto: arquivo pessoal)

A prospecção de atletas é, com certeza, um feito admirável realizado pelo Pelotas Phonix durante todos esses anos. Além de revelar atletas para outras equipes do futebol brasileiro, em parceria com a GO USA, algumas Lobas já tiveram a oportunidade de estudar e jogar no país referência quando se trata de futebol feminino: os Estados Unidos.

Após convocação, Andressinha agradece as Lobas: “Minha eterna gratidão por essa equipe”

Lobas são emprestadas ao Avaí/Kindermann para a disputa do Campeonato Brasileiro

Ex-Lobas assinam contrato com a Chicago State University, nos Estados Unidos

Sob olhar da maior jogadora do mundo, Marta, a joia das Lobas Andressinha cobra falta em partida válida pela Copa do Mundo de 2019 (Foto: Assessoria / CBF)

Marcos Planela e Marina Cabral, que atualmente está nos Estados Unidos – Cloud County Community College (Foto: arquivo pessoal)

Sequência do trabalho diante da pandemia
“Como hoje todo mundo começou a utilizar, já fazíamos desde 2017 e seguimos fazendo, treinos orientados e monitorados a distância, com suporte de lives, grupos no WhatsApp e etc. Buscando mantê-las informadas, mobilizadas e motivadas neste período conturbado e atípico”, disse.

Competições
“Já estavam previstas para o segundo semestre aqui no estado e isso se mantém. A princípio o campeonato adulto será em agosto (não disputaremos) e as categorias de base (nossa prioridade desde 2017), em setembro. Hoje temos 70 atletas, entre sub 14, sub 16 e sub 18”, falou.

Futuro
“No atual momento, superar a quarentena, readequar o planejamento da temporada e estarmos em campo, ainda em 2020. Isso será uma vitória para nós e as outras equipes de futebol feminino do RS e do Brasil. Para 2021, termos um cenário melhor com a regularização da lei de incentivo à modalidade, que sugerimos à autora da mesna, Deputada Estadual Liziane Bayer, já aprovada pela Assembléia Legislativa e aprovada pelo Governador Eduardo Leite. É um marco para a evolução do futebol feminino, ajudamos no processo e será muito bom, ser beneficiado pela mesma”, encerrou.

Comemoração
Nos últimos dias, Planela compartilhou em sua página do Facebook diversas mensagem de pessoas importantes para as Lobas. Acesse o perfil para conferir.

Mais sobre:

Após vice no Gauchão Sub-18, Planela afirma: “O objetivo possível foi alcançado”

Marcos Planela fala sobre futuro do Pelotas Phoenix

Deixe uma resposta