Foto: Victor Lannes / Rede Esportiva

Antes da partida contra o Bagé, no domingo (29), às 15h, no Estádio Pedra Moura, o treinador do Pelotas, Felipe Endres, concedeu entrevista coletiva e elencou alguns aspectos da preparação do Lobo.

A comissão técnica já foi em busca dos pontos altos do adversário para trabalhar durante os treinamentos.”Pelas informações que a gente buscou, eles pretendem vir com uma formação mais ofensiva, pressionando um pouco mais alto. Acredito que não vão esperar tanto. Acho que vai ser um jogo, talvez, um pouco mais aberto”, comentou.

A primeira partida entre Pelotas e Bagé terminou sem gols na Boca do Lobo. Foi o único empate da equipe áureo-cerúlea até aqui. “Eu acredito que o que faltou naquele jogo do Bagé tenha sido o gol. Foi o segundo jogo que a gente mais chegou no último terço. Foi o segundo jogo que a gente mais finalizou e, naquele dia, o Vandré estava inspirado. Espero que ele não esteja tão inspirado no jogo de domingo”, avaliou.

O treinador antecipou que o atacante Jô não irá jogar, e que Pablo ocupará a vaga. O zagueiro Negretti também pode ser dúvida para o confronto com o Bagé. “Está fora do jogo e não vai ser nem relacionado (Jô). A lesão do Negretti é uma lesão que não preocupa, provavelmente ele vai ter condições de jogar. A ideia do segundo turno é focar e preparar para os matas. Com responsabilidade vamos olhar a situação do Negretti. Se tiver condições de jogar, vai jogar (…) hoje ele estaria entre os onze”, falou.

Arte: Rede Esportiva

Com a classificação à próxima fase garantida, Endres fala dos possíveis adversários na segunda fase, que serão determinados através de sorteio. “A gente pode enfrentar nos matas uma equipe mais técnica, podemos enfrentar uma equipe com o estilo mais físico, similar a do Bagé. Então acredito que, de uma maneira geral, os próximos dois jogos vão nos ajudar, mas também entender que a mentalidade dos mata-matas é diferente da mentalidade da fase de grupos”, disse.

Sobre a preparação, Endres se mostra confiante em relação a equipe. “Uma característica dos meus treinos é ser bastante intenso e competitivo. Acho que agora é manter esse nível, manter esse foco que os jogadores estão tendo e tentar transferir para o jogo de uma maneira ainda mais intensa. A gente sabe que vai ser difícil mas acreditamos no nosso potencial e principalmente no nosso mental”, afirmou.

Já está na cartilha dos jogadores e da comissão técnica o pensamento de estar sempre em evolução. Endres comentou os principais aspectos para crescer na sequência da competição. “Talvez eu diria que na circulação um pouco mais rápida, acho que por vezes a gente pode acelerar o jogo, no sentido de utilizar menos toques para fazer uma determinada ação”, analisou.

O Pelotas busca os três pontos para continuar na liderança do Grupo A, e ainda se afastar do segundo colocado, o próprio Bagé.

Arte: Rede Esportiva

Deixe uma resposta