Foto: Fabrício Cortinove / AI São Caetano

Nesta sexta-feira (23), os jogadores, funcionários e prestadores de serviço do São Caetano decidiram entrar em greve por conta dos salários atrasados.

De acordo com as informações veiculadas pelo site ESPN, o time decidiu não entrar em campo no jogo contra o Pelotas, pela Série D do Campeonato Brasileiro. A partida está marcada para acontecer no estádio Anacleto Campanella, neste sábado, às 18h. A delegação do Lobo já viajou rumo à São Paulo.

Entenda

Os atletas alegam que não receberam as premiações referentes às conquistas da Copa Paulista de 2019 e da Série A2 do Paulistão de 2020, além de 13º salários, FGTS e auxílio-moradia.

O site ESPN entrevistou alguns jogadores, sendo alguns deles com ordens de despejo dos apartamentos onde moram.

“A gente vem há um tempo nessa situação. Estou há três meses sem receber salários. Não recebi duas férias e meu FGTS não é depositado há um ano e cinco meses. Está muito difícil porque tenho família. A imobiliária me ligou dizendo que se o clube não pagar a moradia vão entrar com ordem de despejo ”, disse o goleiro Luiz Daniel.

O São Caetano foi campeão da Série A-2 do Campeonato Paulista, recolocando o time na elite estadual, há apenas 12 dias.

“A decisão foi tomada em comum acordo com o grupo. Não vimos outra forma porque eles prometem e não cumprem. Vamos dar W.O. e não vamos treinar. Nós não fizemos os exames de covid-19. Tem funcionários que não recebem há sete meses. Para eles a situação é ainda mais difícil”, afirmou Luiz.

O Pelotas se manifestou sobre a situação através de nota da assessoria.

O Esporte Clube Pelotas por meio deste, se posiciona oficialmente diante da situação que foi noticiada hoje sobre o São Caetano:

O Pelotas está a caminho de São Paulo e irá seguir os protocolos para a realização da partida.

Nenhum de nossos dirigentes e nem membros da comissão técnica irão se manifestar sobre o caso. O posicionamento do clube será somente via assessoria de imprensa.

Reiteramos também que o clube e seus profissionais se solidarizam aos colegas de profissão.

Deixe uma resposta