Foto: Victor Lannes

Com contrato firmado com o Pelotas até o final da Série D, Mateus Santana é um dos atletas que voltará para a Boca do Lobo quando as atividades físicas forem autorizadas. O meio-campista falou sobre o momento de parada em entrevista à Rádio Universidade.

Há quase 50 dias em casa, o jogador tem buscado formas de manter os exercícios físicos com o auxílio do preparador Roberto Recart. “Ele tem nos passado informações para mantermos uma rotina de treinos. Claro que não temos as mesmas coisas que tem no clube, a mesma estrutura, conseguimos fazer algumas coisas mas não é como estar treinando normal. É cuidar a parte física e a alimentação também, para se tiver o retorno não voltar tão fora fisicamente”, disse.

Foto: Victor Lannes

Nesta terça-feira (5) haverá uma reunião entre a Federação Gaúcha de Futebol e o governador do estado, Eduardo Leite, para a discussão de um possível retorno.

“Estou acompanhando as notícias, não temos acesso diário ao clube, conversamos com outros atletas e alguns amigos mas estamos todos na expectativa do retorno. É claro que temos que tomar os devidos cuidados, não podemos querer (voltar) o mais rápido possível sem ter algo concreto de como será a partir de agora. Qualquer decisão que for tomada estamos aptos para voltar ao trabalho, começar a parte física e pensar nos jogos também. Tudo vai depender do que a Federação vai definir nos próximos dias”, falou.

Uma das novidades que o elenco do Lobo encontrará será o técnico Roberto Colbachini, que foi anunciado após a parada do Gauchão.“A gente que é do meio do futebol sabe que essas mudanças acontecem (…) Particularmente não trabalhei com o Ricardo, mas já ouvi falar, fez bons trabalhos nas categorias de base. É um treinador jovem, com ideias novas e a gente está aí para aprendizado, tudo que vier a gente vai procurar estar à disposição em prol do Pelotas”, disse.

Sobre o Campeonato Gaúcho, antes da parada o Lobo estava na zona de rebaixamento e as atuações durante a competição não foram como o planejado. “Deixamos bastante a desejar nesse campeonato até a parada, até pelo plantel que o Pelotas tinha não era para estar nessa situação. O Futebol é muito dinâmico e o campeonato Gaúcho é muito equilibrado. Não deveria estar nessa situação, as coisas não aconteceram da forma que a gente queria, o time não encaixou em alguns jogos como a gente gostaria”, analisou.

Caso seja definido o retorno das atividades e a volta do Gauchão, a primeira partida será contra o Brasil, na Boca do Lobo. “Tendo o retorno da competição já tem um clássico pela frente, é sempre bom jogar um clássico, é um jogo a parte e a pressão sempre vai existir, o clássico temos que dar um algo a mais, isso não podemos deixar faltar”, afirmou.

Deixe uma resposta