Foto: Victor Lannes / Rede Esportiva

A troca no comando técnico do Pelotas parece já ter mexido com o estado anímico do grupo. A chegada de Picoli, ex-jogador e conhecedor do futebol gaúcho, e a aproximação da fase mata-mata da Copa Seu Verardi tem haver com essa mudança no comportamento dos jogadores. O volante Vacaria conversou com a imprensa sobre essa nova mentalidade que o grupo precisa.

“De vez, o Pelotas entrou na competição. Desde o momento que o Picoli entrou no vestiário, ele pediu para gente esquecer a Copinha (termo) e trazer ela como uma competição. Que é o que a gente tem no momento para disputar. Copinha fica um significado diminutivo. Temos que fazer disso a nossa oportunidade. Creio que no sábado (contra o Cruzeiro) o Pelotas teve o espírito, time de leões, foi um jogo bastante difícil, bastante truncado, mas a raça voltou, voltou a ter aquele espírito que o torcedor do Pelotas quer ver. O grupo entendeu bem o que Picoli pediu”, contou.

Vacaria revelou ainda que conhece o novo treinador do Lobo desde os seus 16 anos. “É um cara experiente, vencedor, já jogou aqui no Pelotas, conhece bem a casa. Tem umas ideias diferentes das do Felipe, e isso é normal, cada treinador tem uma filosofia”, disse.

Sobre as primeiras conversas, Vacaria destaca a cobrança pela raça e pela vontade dos atletas dentro de campo e já sinaliza uma mudança no pensamento do elenco. “Ele sempre pede um time forte, guerreiro, aguerrido, que não se entregue do primeiro ao último minuto. Esse vai ser o termo utilizado dentro do nosso vestiário agora, que essa competição é a nossa oportunidade. De quem não tava voltar pro mercado, de colocar o Pelotas no seu devido lugar, onde ele merece e que o torcedor veja um time de guerreiros dentro de campo”, afirmou.

Foto: Tales Leal / AI Pelotas

O áureo-cerúleo tem o último compromisso pela primeira fase e depois começa a fase mata-mata, na qual os adversários serão definidos em sorteio. No sábado (12), o Pelotas recebe o União Harmonia na Boca do Lobo. “Respeitamos a equipe deles, a gente teve um primeiro tempo muito abaixo no primeiro jogo lá em São Leopoldo. Temos que tirar aquilo que a gente fez de errado para não pecar também nesse jogo de sábado. É um jogo que a gente já vem classificado, com um pouco menos de responsabilidade, mas nada disso, temos que saber que vale muito. Vale talvez o primeiro lugar também, não sabemos como vai ser o jogo do Bagé contra o 12 Horas”, comentou.

Com esse pensamento, o Lobo segue em busca do principal objetivo nessa Copa Seu Verardi: uma vaga na Série D para completar o calendário do ano que vem. “Tenho certeza que se a gente conseguir aliar nossa técnica e os números que vem sendo feito com a vontade e ser dedicado do início do jogo até o final tenho certeza que dentro da competição vamos ter coisas boas no final”, falou.

Arte: Rede Esportiva

Deixe uma resposta