Foto: Carlos Insaurriaga / AI Brasil

O próximo confronto do Xavante na Série B já pode ser considerado um clássico do sul do país. Brasil e Londrina, nos últimos anos, duelaram algumas vezes, e ainda, conquistaram juntos os acessos nacionais às séries C e B.

O Londrina viajou para o Rio Grande do Sul no domingo (1º). O elenco está em Porto Alegre, onde fará o último treino nesta segunda-feira e depois viaja para Pelotas. A partida será na terça, no Bento Freitas, às 19h15.

Neste confronto, válido pela 21ª rodada, Tencati não terá o lateral-direito Raí Ramos, suspenso. Portanto há duas opções para a vaga: ex-Brasil, Hélder é o substituto imediato da função, porém voltou aos treinamentos na última semana após se recuperar de uma lesão e ainda está aprimorando a parte física. Por isso, é possível que o volante Matheus Neris seja improvisado na lateral.

Caso a segunda opção seja escolhida, abre-se uma vaga no meio-campo e, para ela, Tencati terá Matheus Bertotto e Bruno Paulista como opções.

“O Matheus Neris fez um amistoso com o Corinthians, entrou bem para fazer aquele corredor, poderia fazer uma linha de quatro. É redesenhar. Mudar pontualmente um ou outro atleta que a gente entende que é necessário na conjuntura tática. Senão, começa a fazer mudanças e vai perder o time. Apesar da derrota, houve uma evolução tática da equipe”, avaliou Tencati após a derrota para o CRB na última rodada.

Duelo de semelhantes

As semelhanças também podem ser notadas na tabela de classificação.

Arte: Rede Esportiva

Histórico

Brasil e Londrina viveram uma ascensão no futebol gaúcho no mesmo momento. Em 2014, o Brasil foi vice-campeão da Série D e o Londrina parou nas semifinais, mas também conquistou o acesso. Em 2015, o caminho foi inverso: quem chegou à final foram os paranaenses, mas ambos conquistaram a tão sonhada vaga na Série B.

Outro fato que uniu os nomes dos clubes foi a permanência dos técnicos no comando das equipes. Cláudio Tencati está ligado ao Londrina, assim como Rogério Zimmermann está ao Brasil. Durante alguns anos, os dois eram seguidamente lembrados como os técnicos mais longevos do país.

Fotos: Jonathan Silva / AI Brasil e Wellington Ferrugem / AI Londrina

Coincidentemente ou não, os dois são frequentemente chamados para “apagar incêndios”: Zimmermann retornou ao Xavante no início da Série B após uma péssima campanha do Rubro-Negro no Gauchão (saiu após a pausa para a Copa América, dando lugar a Bolívar), e Tencati voltou ao Londrina recentemente após uma sequência ruim na Série B.

Para relembrar

Em 2015, pela Série C, o Brasil venceu o Londrina no Bento Freitas com uma virada por 3 a 1, com três gols marcados por Leandrão.

Deixe uma resposta