Foto: Victor Lannes / Rede Esportiva

Na tarde desta terça (3), o Rede Esportiva entregou o prêmio de craque da temporada para o goleiro Carlos Eduardo, do Brasil. O camisa 1 foi eleito por meio de uma votação promovida pelo site com a participação de jornalistas convidados.

Ao receber o troféu, o goleiro exaltou a persistência para alcançar os objetivos. “É valorizar o trabalho que foi feito durante um longo tempo. Dos quatro anos que estou aqui, este foi o ano em que eu tive uma sequência. Eu pude mostrar o meu trabalho e não imaginava toda essa repercussão. Só queria fazer um bom trabalho para ajudar a equipe a se manter”, disse.

Maicon Zuge (Aquafit), Renan Silva (sócio-fundador do Rede Esportiva), Carlos Eduardo e Maurício Martins (sócio do Rede Esportiva) (Foto: Victor Lannes)

Dentre os agradecimentos feitos por Carlos Eduardo, dois deles foram especiais: ao ex-goleiro Eduardo Martini e ao preparador de goleiros, Alex Lessa.

“O Martini considero que de todos (ex-goleiros do clube) tenha sido o mais essencial para mim porque ele pegava muito no meu pé. Chegou em um ponto que eu achava que ele não gostava muito de mim, que tinha algum tipo de birra comigo, mas a gente sentou depois e conversou e ele foi me passando tudo o que aconteceu com ele, foi me ensinando e mostrando o caminho. Inclusive ele me falou “Carlos, tu vais pegar uma torcida que está acostumada com grandes goleiros”, recordou.

O preparador de goleiros, que faz parte do dia a dia do atleta, foi citado com carinho. “Eu valorizo e dou méritos pro Alex (Lessa) também. Foi outro cara sensacional na minha vida. A minha evolução, do jeito que cheguei aqui, com 68 kg e hoje com 87 kg, postura melhor, evolução dentro de campo, tudo isso é o trabalho do Alex, também. Ele foi um pai para mim. Quando tinha que dar bronca ele dava, não amolecia em nada. Quando tinha que falar bem, ele falava. Até hoje, tudo o que ele fala para mim é para eu evoluir (…) Foram ensinamentos que vou levar para o resto da minha vida”, disse.

Destino indefinido

Naturalmente questionado sobre o futuro pelos repórteres presentes na entrega do prêmio, Carlos Eduardo deixou em aberto. Segundo ele, a influência da família terá peso na hora de considerar seu destino em 2020. “As sondagens todo mundo sabe que inclui Série A de Brasileiro e campeonato europeu. Têm sempre sondagens se você vai bem, se vai aparecendo, é inevitável (…) Sempre galguei degrau por degrau. O meu sonho sempre foi jogar aqui no Bento Freitas e jogar o Campeonato Brasileiro pelo Brasil, independente de quando fosse, mas tinha esse sonho. Como também tenho o sonho de jogar uma Série A do Brasileiro e ir para o futebol europeu. As sondagens ficam todas para os meus procuradores”, falou.

“Me deram 15 dias para relaxar e eu tô curtindo o momento de premiações, de elogios, vendo a repercussão de tudo que fiz e alcancei aqui no clube. Eles estão monitorando tudo (procuradores), tão fazendo o trabalho deles. Vai chegar um ponto em que eu vou ter que tomar a decisão, mas depois desses 15 dias que eu tenho para relaxar, esquecer o ano de 2019 e depois pensar em 2020”, acrescentou.

 

Deixe uma resposta