Foto: Victor Lannes / Rede Esportiva

No grupo de trabalho do Xavante desde 2015, o goleiro Carlos Eduardo assumiu a posição de titular apenas neste ano. Nas temporadas anteriores, entrava em algumas partidas, mas o Brasil tinha goleiros com mais rodagem e experiência como Eduardo Martini e Marcelo Pitol. No Gauchão deste ano, enfim a oportunidade chegou para o camisa 1 de 27 anos.

A evolução do goleiro não passa apenas por quesitos técnicos. Ele acredita que a mudança de comportamento tem papel fundamental para a sua melhora à frente do gol: “Sempre fui tímido, inibido, e via que tinha que deixar minha timidez de lado, mais por característica pessoal e porque dentro de campo você tem que se transformar para dar o melhor. Se isso faz com que eu ajude minha equipe, então por que não melhorar isso? Foi o que fiz. Do Gauchão pra cá fui melhorando. Tem que melhorar mais, mas hoje consigo passar muito mais (orientações) do que passava antes. Essa é a voz de comando que a equipe precisa”, comentou.

Acostumados com goleiros mais vibrantes e identificados, no início parte da torcida chegou a contestar a titularidade de Carlos Eduardo, que hoje, com menos pressão, se sente bem na posição e preparado para entregar o seu melhor junto à equipe.

Foto: Jonathan Silva / AI Brasil

Com um início conturbado na Série B, mas já em recuperação, o Brasil se prepara para desempenhar um bom futebol na volta à competição. O goleiro credita à confiança da comissão técnica como um dos principais aspectos para a melhora dos resultados rubro-negros.

As palavras “trabalho”, “confiança” e convicção” foram as mais utilizadas na entrevista coletiva concedida esta semana. E ao mencionar os treinamentos realizados, exaltou a importância do coletivo: “Eu estou tentando manter uma regularidade e ajudar meus companheiros da melhor forma possível. Tô me dedicando, tô trabalhando. É claro que você fica triste pelos resultados ruins, a gente sabe que tem que melhorar em muitos aspectos, então continuamos trabalhando. Isso é um grupo, para nós chegarmos aos nossos objetivos precisamos de todos.”

Em conversa com o Rede Esportiva, o ex-goleiro xavante Marcelo Pitol elogiou o trabalho do ex-companheiro de equipe: “Torço muito para ele e que ele se torne um grande goleiro. Tem todo potencial e é um bom ser humano. De verdade, posso falar sobre o tempo em que estive com ele, já que hoje não acompanho os jogos. Naquela época, em nossos trabalhos e treinamentos, era um cara que a cada dia queria melhorar e crescer. Fico feliz que ele esteja bem e torço que ele continue assim. Se, neste tempo, todas as vezes que conversamos pude ajudá-lo, fico feliz”, falou o goleiro, que trabalhou com Carlos Eduardo no Brasil em 2017 e 2018 e que agora está no Boavista, do Rio de Janeiro.

Foto: Jonathan Silva / AI Brasil

Deixe uma resposta