Arte: Rede Esportiva

Evidente que vencer sempre dá mais tranquilidade em qualquer segmento do clube, mas na base, a avaliação precisa ir além dos resultados.

A derrota no primeiro confronto da final do Estadual Sub-17 foi frustrante, principalmente porque o Brasil jogou em casa e ainda saiu vencendo. No entanto, o simples fato de chegar na decisão já respalda e muito, o trabalho do grupo.

O time do Brasil, assim como do Cruzeiro, adversário da final, procura jogar com a bola no chão, não é só correria e balão para cima e esse é um ponto muito interessante do trabalho.

Jogo controlado quase em todo tempo

A garotada xavante foi muito bem em boa parte do jogo. Foi melhor no primeiro tempo, saiu em vantagem na etapa final e, até sofrer o empate, aos 17 minutos, tinha a partida sob controle. Porém, do outro lado, estava uma equipe que, não por acaso, eliminou o Internacional na semifinal.

O golaço marcado pelo menino Tiba, de apenas 15 anos, do Cruzeiro desestabilizou o rubro-negro. O segundo gol também foi de qualidade e do mesmo garoto e, já nos acréscimos, saiu o terceiro numa bola cruzada na área.

A missão de reverter o placar é bem complicada, ainda mais com o saldo qualificado como critério de desempate.  

Destaques individuais

A distância da sub-17 para o profissional é grande. Poucos conseguem queimar etapas e já com essa idade tornarem-se opção na equipe principal. Porém no grupo xavante, alguns jogadores começam a chamar atenção, não só pela qualidade, mas também pela maturidade.

O extrema Luiz Felipe e o atacante, autor do gol, Leonardo foram os destaques no primeiro jogo da final. Há ainda o meio-campo Gabriel Bielemann que jogou descontando, ainda se recuperando de uma lesão, e o extrema Vitinho que estava suspenso e é bastante elogiado por quem acompanha mais de perto o trabalho.

Próximo ano será de valorização maior

A direção rubro-negra já definiu a estratégia para o Gauchão 2020 e deverá valorizar ainda mais a base. De acordo com o presidente Ricardo Fonseca, pelo menos seis jovens completarão o elenco profissional que irá contar com outros 20 jogadores.

A maioria será da categoria sub-19 que também faz boa campanha na Copa RS, mas o aproveitamento maior, com certeza, servirá de motivação para todo departamento amador.

Deixe uma resposta