Arte: Rede Esportiva

Castigo no final
Não foi uma grande estreia do Xavante no Gauchão. Mas pelo time praticamente todo novo que foi montado e o tempo reduzido de trabalho, não dava para esperar muito mais do que foi apresentado.

A frustração maior acabou sendo em função do adversário que também não apresentou muito futebol e pelo gol sofrido no final.

O jogo foi equilibrado, de pouca qualidade técnica, com mais oportunidades para o Aimoré, mas sem que o Brasil tivesse sofrido pressão. Dentre os jogadores de linha não houve nenhum grande destaque, mas o goleiro Rafael Martins foi muito bem.

Adversário também precisa de recuperação
Evidente que o Grêmio não deverá ter grandes dificuldades para seguir adiante na competição, no entanto, a inesperada derrota com os titulares na estreia em casa diante do Caxias, já começa a pressionar o time no início de temporada.

No futebol, quando os resultados não vêm, o que era inquestionável passar a sofrer críticas e as críticas atingem a todos do clube.

Com certeza será mais jogo de dificuldades para o Brasil e o time precisará muito do ambiental do estádio para se superar e buscar a primeira vitória.

Base segue fazendo bonito
O ano começou muito bem para a base rubro-negra. Jogando em Teutônia, a garotada da sub-17 xavante venceu o Novo Hamburgo nos pênaltis e conquistou título da Copa Teutônia.

Se no profissional as coisas não andam muito bem, na base o profissionalismo segue dando resultados. O principal é revelar jogadores para o profissional, mas vencendo o objetivo se torna mais fácil.

Deixe uma resposta