Imagem: Rede Esportiva

O presidente do Brasil, Nilton Pinheiro, se preocupa muito com um ponto que confesso ser do meu agrado: a parte institucional do clube. O que, nos últimos anos, poucos presidentes deram a devida atenção para isso. Sempre achei um erro. E nisso, englobo os dois lados da cidade, o vermelho e o amarelo.

Nossas instituições são entidades mais que centenárias, e que tem um papel relevante na sociedade pelotense não só no aspecto esportivo, mas no econômico, social e histórico, também. Pinheiro cuida disso pessoalmente, e

nestes poucos meses como principal mandatário do clube, não foram poucas as vezes que se viu ele fazendo esse tipo de papel. E o que mais me chama a atenção é que, os que não entendem, muitas vezes não veem que isso dá retorno ao clube, mesmo que a médio/longo prazo. Porém, vejo que o momento dá conta da necessidade do presidente Xavante se fazer ainda mais presente como mandatário do clube, dentro das entranhas do estádio Bento Freitas. Não falo isso sobre só se fazer presente fisicamente, mas sim, usar do cargo na acepção literal da palavra. Resolver o futebol, conter os ânimos e, de fato, resolver questões que se fazem urgentes.

No Lance Rápido, programa da Rádio Universidade de ontem, o vice-presidente de futebol do clube, Dr. Cláudio Montanelli, um conciliador reconhecido, deu uma declaração na qual se mostrou preocupado: “Eu queria dizer que nosso foco é só o futebol. Eu queria dizer que nosso foco é só o Sampaio Correa, mas não. Além do Sampaio, nós temos que resolver logo algumas questões internas que necessitam de decisões rápidas e claras. Os resultados não estão aparecendo, apesar de estar se vendo uma melhora dentro do campo, é normal que não estejamos voando em céu de brigadeiro, pois todos ficamos nervosos com a falta desses resultados. Creio que o presidente entre em contato, para que possamos dar prosseguimento nessas questões.” – disse. Mesmo que seja público que as coisas na rua João Pessoa não estejam tão calmas, fica a dúvida: quais questões são essas? O que estaria acontecendo?

Em cima do dito por Montanelli, ressalto a necessidade de que Nilton Pinheiro faça valer seu cargo e apague todos os “princípios de incêndio” para que a atividade-fim do clube não seja atrapalhada. Os amigos Fernando Monassa, da Rádio Pelotense, e Marcelo Prestes, da Rádio Universidade, desde o jogo do domingo, enumeraram pontos importantes a se destacar, nos quais me junto: 1) Nilton já ressaltou que questões internas devem ser resolvidas internamente. Então, qual é o fato de Cláudio Tencati “lavar roupa suja” quase toda coletiva? Ele tendo razão ou não, não seria momento de preservação? 2) Pessoas de dentro do clube já confirmaram que o diretor-executivo de futebol Fernando Leite até se despediu dos funcionários. Qual o motivo da não manifestação por parte do clube quanto a situação dele? 3) Os “meninos mimados” que Tencati se referiu vão sair quando? Terão a saída reposta? 4) O departamento de futebol está com autonomia para trabalhar? Qual o motivo de Helio Vieira, que chegou para ser coordenador técnico, por Cláudio Montanelli, não ter sido anunciado ainda?

Não tenho dúvidas que, para que as coisas comecem a serenar e o foco seja apenas o que ocorre dentro do campo, urge a necessidade de respostas para estes e outros pontos. Perguntas como essas, feitas pelos colegas, me chegam seguidamente, principalmente pelo twitter, por torcedores Xavantes ávidos por respostas. E só uma pessoa pode respondê-las. E é o senhor, presidente Nilton.

Torço que isso seja resolvido o mais rapidamente possível. Nos últimos jogos, vi um Brasil mais competitivo, e de um grande primeiro tempo contra o Avaí. Quem sabe Tencati não está achando o caminho?

MERECE PALPITE
Hoje, pela Copa do Brasil, o Fluminense vai até o sul de Santa Catarina enfrentar o Criciúma. Com odd de 1.58, acaba sendo uma boa aposta.


Os textos desta coluna são de responsabilidade do autor e não representam, necessariamente, a opinião dos editores do site.

Deixe uma resposta