Imagem: Rede Esportiva

No 7 de Setembro mais tenso no país nos últimos anos, o Brasil tinha partida chave contra um inimigo direto na fuga do Z4. E mesmo tendo saído na frente, deixou o Confiança empatar, e segue em situação difícil.

Na data que comemorava seus 110 anos, o começo do Xavante foi animador: após uma chegada na Baixada relembrando os grandes jogos, com uma grande recepção por parte da torcida, o Brasil saiu na frente logo cedo, com Rildo marcando um golaço de falta, logo aos oito minutos. Depois do gol, os comandados de Cleber Gaúcho seguiram em cima, dando mostras que a tão importante vitória chegaria naquele feriado, em uma espécie de presente para a torcida Xavante. Porém, não foi o que se viu. Próximo dos 20 minutos do primeiro tempo, o Brasil incorreu nos mesmos erros de sempre, parou de jogar e viu o Confiança crescer no jogo. Até que no final da primeira etapa, João Siqueira, de maneira atabalhoada “atropelou” o jogador do Confiança e o pênalti foi marcado. Tiago Reis cobrou, deslocou Matheus e empatou a partida.

Na segunda etapa, o jogo caiu de nível técnico. Foi uma partida mais brigada, menos jogada, mas com grau de intensidade maior. O Brasil jogou menos do que o primeiro tempo, mas competiu. O alento visto na segunda etapa foi esse: quando faltou bola, não faltou competitividade. Rildo era uma ilha de qualidade técnica, enquanto víamos os mesmos problemas de sempre. É bem verdade, que durante o segundo tempo, o Brasil teve um gol anulado de Rildo, porém a auxiliar marcou que, na origem da jogada, em cobrança de escanteio a bola fez uma curva por fora e voltou para dentro do campo. O 1 a 1 foi amargo. Após três empates e uma pequena amostra de que Cleber estava acertando a mão com o Brasil mostrando produção, as coisas retrocederam. Não ter vencido o Confiança frustrou muita gente, e deixa cada vez mais explícito que as coisas ficam a cada dia mais difíceis.


Parabéns, Brasil
Entre os turbilhões de problemas enfrentados, o Brasil segue. E pelo dia do aniversário, parabenizo aqui todos os dirigentes, atletas, funcionários, mas principalmente ao maior patrimônio do clube: seu torcedor, pelos 110 anos do clube da Baixada. Se os dias atuais não vêm sendo fáceis, que logo ali na frente um horizonte alentador surja para a nação Xavante. Que venham mais 110 anos pela frente.


MERECE PALPITE
Amanhã, a Seleção Brasileira recebe o Peru, pelas Eliminatórias da Copa. Com odd de 1.38, a vitória Brasileira é ótima para ser inclusa em uma aposta acumulada na kto.com. Vale a aposta.


Os textos desta coluna são de responsabilidade do autor e não representam, necessariamente, a opinião dos editores do site.

Deixe uma resposta