Foto: Victor Lannes / arquivo – Rede Esportiva

Com uma história vitoriosa dentro das quatro linhas e algumas oportunidades como treinador interino, chegou a hora de Gustavo Papa assumir o papel de comandante técnico do Xavante. A apresentação oficial foi na tarde desta sexta-feira (6), no Bento Freitas.

A palavra inicial foi do vice-presidente Giovanni Alcântara, que deu as boas-vindas à Papa na nova função que exercerá e justificou a aposta no profissional. “Da minha parte é uma escolha que reflete o espírito e a garra xavante”, disse.

Papa exaltou a confiança no trabalho e o foco nos objetivos. O novo treinador xavante comentou que o objetivo no Gauchão é, ao menos, chegar na semifinal. “A questão da montagem de elenco é importante (…) Estamos praticamente vivendo aqui dentro do estádio, a gente chega de manhã cedo e sai tarde da noite, monitorando os atletas, fazendo contatos, procurando ser bem criteriosos na escolha dos atletas”, comentou.

O perfil procurado pela comissão deve unir algumas características. “Eu gosto de atleta intenso. Aquele atleta sanguíneo. Mas também tem uma questão que eu não abro mão que é a qualidade técnica. O atleta perfeito é o que alia essas duas coisas. E mais uma coisa importante também é a questão da personalidade do atleta, porque a gente sabe que a pressão é grande e, muitas vezes, em um momento quando as coisas não estão funcionando muito bem, aí que você realmente vê quem é o atleta”, disse.

Base
O elenco contará com atletas oriundos das categorias de base. Segundo Papa, eles não chegam apenas para completar o grupo, mas para brigar por titularidade também. “Assim como os outros atletas que estão chegando, os atletas da base terão as mesmas oportunidades”, disse.

Reforços
Papa salientou que a comissão está fazendo um trabalho intenso e diário para garimpar os atletas que se encaixem no perfil exigido. Algumas posições são mais deficitárias: “Tem alguns atletas que já renovaram o contrato, outros estão chegando. Nós estamos fazendo esse mapeamento. No grupo do Brasil, de extremas, nós temos Cristian, Maicon Assis e Ari que está em uma indefinição e provavelmente saia, então teremos dois atletas só nesta posição. Uma posição muito carente. Volante nós temos um. Meia não temos nenhum. Então a busca é grande. Temos que analisar bem o mercado e ser bem criteriosos nas contratações para que índice de erro seja pequeno”, avaliou.

Sobre as dificuldades deste momento, Papa destaca a forte concorrência. “A gente sabe a condição do clube. Temos a concorrência muito forte com o campeonato paulista que inflaciona muito o mercado, mas tenho a convicção que conseguiremos montar uma grande equipe”, afirmou.

Deixe uma resposta