Foto: Victor Lannes / Rede Esportiva

O capitão do Brasil e peça importante nas equipes rubro-negras desde a sua chegada, há oito anos, ainda não definiu onde atuará em 2020. O volante concedeu entrevista à Rádio Universidade e revelou que ainda não renovou o contrato com o Brasil e tem propostas de outros clubes. A definição se fica no Xavante deve ocorrer até segunda-feira (23).

Questionado pelo repórter Gustavo Louzada sobre o futuro, Leite afirma que está em negociações com o presidente Ricardo Fonseca. “A gente está conversando, mantenho contato com o presidente, a gente fez contato na semana passada, mas eu tirei esse tempo para poder descansar, principalmente essas primeiras semanas. Tive contato com outros clubes, mas ainda não decidi nada. Até no máximo segunda-feira a gente espera resolver se volta para 2020 ou não. Acho que o mais importante é que deixamos o clube mais um ano em uma competição e em um calendário muito bom para o clube e para o torcedor acompanhar”, disse.

Veja outros trechos da entrevista:
“Foi um ano difícil, complicado, mas não só para nós. Foi um campeonato muito difícil, estadual também, tivemos pouco tempo para trabalhar, muita mudança de comissão técnica, demora um pouco para se adaptar. No Brasileiro acho que foi dentro daquilo que foi planejado, com todas as dificuldades que tivemos fora de campo conseguimos manter o clube com várias rodadas de antecedência. Isso é importante para o clube e para nós jogadores também, o que foi passado para nós, nós cumprimos, que era manter o Brasil na Série B”, falou.

“É um profissional que se preparou para este momento, o Gustavo (Papa) é uma excelente pessoa e um excelente profissional que se preparou bem, nas oportunidades que teve para assumir contra o Tubarão, Botafogo, São José, o clássico contra o Pelotas, ele mostrou uma segurança muito grande, um trabalho muito forte. Eu creio que tem tudo para dar certo, vou torcer bastante independente se tiver acerto ou não, eu sou um torcedor do Brasil e principalmente pelo Gustavo”, disse.

“Para jogar no Brasil o jogador tem que estar acostumado com a cobrança. E eu sou muito visado, estou a mais tempo no clube e a cobrança é normal. Hoje o Neymar na seleção brasileira é o principal jogador, e não agrada a todos”, falou.

 

Deixe uma resposta