Foto: Victor Lannes

Formado nas categorias de base do Xavante, o atacante Luiz Henrique tem entrado nas últimas partidas e agradado aos torcedores com oportunidades criadas. Na partida de terça (11), contra a Ponte Preta, no Bento Freitas, o jovem entrou no segundo tempo e fez uma bonita jogada que parou no travessão.

Em entrevista ao repórter Gustavo Louzada, da Rádio Universidade, Luiz Henrique comentou sobre o empate em 1 a 1 contra a Macaca. “É o nosso segundo jogo no Brasileiro, é o segundo jogo que o professor Hemerson (Maria) vem fazendo essa função tática e a gente percebe um crescimento da equipe e uma evolução do primeiro jogo para cá. A minha entrada, do Jarro e do Poveda foi uma estratégia boa do Hemerson e que deu mais velocidade ao time, um poderio ofensivo maior. Ele passou para que a gente defendesse bem e não tivesse medo de jogar. No segundo tempo conseguimos jogar mais por ter criado mais espaço, por eles baixarem um pouco a guarda depois do gol”, analisou.

O atacante, de 19 anos, começou na base xavante e foi emprestado ao Inter em 2018. Por lá, foi Bicampeão Gaúcho Sub-20 e Campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Com o fim do empréstimo, voltou ao rubro-negro para integrar o elenco no final do Gauchão e na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro.

Foto: AI Inter

“Feliz demais pela minha volta ao Brasil, já era um negócio esperado por mim e pela minha família. Feliz também em estar atuando. Acho que fiz três boas atuações. Fico triste pela derrota no Bra-Pel que é um clássico, mas sabemos que estamos em uma crescente dentro dos trabalhos com o professor Hemerson Maria. Acredito que fui bem nos jogos, taticamente, tecnicamente e mental. Ainda não cheguei na minha melhor forma física, como até mesmo o professor frisou ontem (11), mas como falei, estamos em uma crescente e vamos buscar grandes coisas no decorrer do ano”, disse.

O sucesso do atacante entre os torcedores já é um assunto conversando entre ele e o treinador Hemerson Maria nos bastidores. “Ele vem conversando comigo bastante para manter a cabeça e ter equilíbrio. Sabemos que, como sou novo, fazer bons jogos acaba criando expectativas maiores. Ele me pediu para manter o foco, a cabeça boa, no lugar, trabalhando que sem dúvidas a minha hora vai chegar e tenho que estar preparado para as oportunidades”, disse.

 

 

Deixe uma resposta