Foto: Jonathan Silva / AI Brasil

Na tarde desta terça-feira (4), o meia Murilo Rangel conversou com a imprensa e ressaltou a confiança do elenco após as vitórias conquistadas depois das quatro primeiras derrotas na Série B.

O grupo xavante vem treinando há uma semana desde a última partida na Série B, a vitória por 2 a 1 contra o Guarani. Com dois triunfos nas últimas duas rodadas, Murilo Rangel destacou o trabalho como receita para a evolução do time.

“Com certeza com a sequência de jogos a gente tende a evoluir. O ritmo de jogo e o entrosamento com os companheiros tende a crescer muito ao decorrer dos jogos e creio que foi isso que aconteceu. Não só comigo mas com toda a equipe, a gente desempenhou nesses dois jogos um futebol bem melhor do que os primeiros e com certeza as particularidades de cada um vão sobressair”, explicou.

Assim como boa parte do elenco, o meia foi contestado nas rodadas iniciais da competição, quando o rubro-negro tinha quatro derrotas em quatro jogos, sendo duas delas diante do torcedor. Mas a má fase não abalou e o trabalho foi decisivo para a virada: “Em um jogo, pude ser decisivo e ajudar a equipe. No outro, participei bem, efetivamente. Esse é o futebol que eu quero e pretendo mostrar, além de estar melhorando a cada jogo.”

Foto: Jonathan Silva / AI Brasil

Aliás, as duas partidas que o Brasil venceu, que tornaram o ambiente mais leve, foram de virada, contra América-MG – com gol de Rangel – e Guarani. Reação que também passa pela confiança no trabalho feito.

O meia falou ainda sobre a relação de confiança entre os jogadores e a comissão técnica: “O Rogério é um treinador que confia muito nos seus atletas pelo trabalho que ele faz. Eu creio que nada resiste ao trabalho, e nós trabalhamos muito e quem nos passa isso é ele. (Rogério) Confia muito no que ele faz e confia naquilo que os seus atletas são capazes de fazer. No começo do campeonato, a gente não conseguia vencer, mas a gente continuou confiando e acreditando, porque nós sabíamos que estávamos trabalhando muito. É complicado falar que às vezes os placares foram injustos e algumas vezes nós saímos com esse sentimento, mas com a cabeça boa. Claro que triste pelo resultado, mas sabendo que estávamos fazendo as coisas certas e que no momento certo a vitória iria chegar e as particularidades de cada um apareceriam.”

Tecnicamente, Rangel comentou que está cada vez mais adaptado à equipe e tem conseguido explorar suas diferentes características. “A parte técnica é muito a respeito do nosso comandante. É algo que o Rogério cobra muito do meia: a entrada na área, o chute de fora da área, a participação efetiva no momento final do gol. É algo que já é da minha característica, e ter um treinador que cobra isso faz com que você lembre disso, que saiba que pode fazer. No meu caso, sei que posso.”

Deixe uma resposta