Arte: Rede Esportiva

Uma campanha decepcionante no Gauchão e uma eliminação na segunda fase da Copa do Brasil. Foi com este saldo que terminou o primeiro trimestre do Brasil em 2019. Mas, afinal, quem aprovou e quem reprovou no Xavante até agora? O Rede Esportiva não ficou em cima do muro – com uma exceção – e fez a própria avaliação. Confira:

Goleiros:
Carlos Eduardo – Deixou dúvidas. Alternou entre grandes defesas e algumas falhas.
Cléber Alves – Não pode ser avaliado. Não jogou.
Marcão – Não pode ser avaliado. Não jogou.

Zagueiros:
Bruno Aguiar – Não pode ser avaliado. Foi muito bem contra Tubarão e Grêmio. Mas foram os únicos jogos pelo Brasil.
Douglas Assis – Não pode ser avaliado. Não jogou.
Leandro Camilo – Aprovou. Foi o Leandro Camilo de sempre.
Heverton – Reprovou. Apesar de ter feito boas atuações em 2018, decepcionou no Gauchão. Perdeu espaço e, quando ganhou nova chance, no Bra-Pel, foi expulso.
Nirley – Reprovou. Expulso infantilmente contra o Avaí, pela Copa do Brasil, foi o pior em campo na goleada sofrida para o São Luiz no Bento Freitas.

Laterais:
Bruno Santos
– Aprovou. Perdeu espaço para o concorrente Pará, mas, em geral, foi regular. Atuou quando a equipe ainda sentia os efeitos da pré-temporada curta.
Hélder – Reprovou. Foi mal nos dois primeiros jogos e depois lesionou-se. Ao retornar, virou mais uma opção para o meio do que para a lateral.
Ricardo Luz – Reprovou. Mal na defesa, mal no apoio. Não parece pronto para uma Série B.
Pará – Aprovou. Foi sólido na maioria dos jogos. Principalmente, nos mais importantes: foi um gigante contra o Grêmio e fez gol no Bra-Pel.

Meias:
Boquita
– Não pode ser avaliado. Fez quatro jogos e não completou nenhum – parte disso, pela condição física apresentada.
Diogo Oliveira – Aprovou. Embora não tenha sido o mesmo de outros tempos, foi o mais lúcido do meio-campo xavante.
Leandro Leite – Aprovou. A exemplo de Camilo, fez o que se espera dele.
Maicon Assis – Não pode ser avaliado. Chegou na reta final do Gauchão.
Sousa – Aprovou. Deu vitalidade ao meio-campo rubro-negro.
Velicka – Não pode ser avaliado. Assim como Boquita, fez poucos jogos.
Washington – Reprovou. Não foi o mesmo da passagem anterior.

Atacantes:
Branquinho
– Aprovou. Graças a ele, o Brasil derrotou o São José. Quando todos estiveram mal, ao menos teve personalidade para arriscar.
Bruno Paulo – Aprovou. Com sobras, o mais talentoso do ataque.
Daniel Cruz – Reprovou. Esforçado, contribuiu mais na defesa do que no ataque, para onde foi contratado.
Douglas Baggio – Reprovou. Correu muito, mas pouco fez.
Fabrício – Não pode ser avaliado. Jogou pouco tempo. De positivo, o fato de ter mostrado muita personalidade para quem tem apenas 18 anos.
Luiz Eduardo – Reprovou. Desde 2018 não justificou sua contratação.
Michel – Reprovou. Foi o artilheiro do time no Gauchão, com quatro gols. Mas os números não falam por si.
Wesley Balbino – Não pode ser avaliado. Não jogou.
Fernandinho – Não pode ser avaliado. Pouco jogou.

Deixe uma resposta