Foto: Victor Lannes

Os clubes do Gauchão aprovaram com unanimidade a proposta feita pela FGF para a volta do estadual. O retorno ainda aguarda a validação de órgãos oficiais, mas a decisão da direção xavante foi questionada por torcedores. O presidente Ricardo Fonseca explicou a posição do clube em entrevista à Rádio Universidade.

“Ficou decidido por unanimidade a continuidade da competição, para terminarmos ela como começou. Principalmente porque temos um contrato em vigor com a globo, que já havia pago 100% para a Federação Gaúcha, que repassou para o clube essas cotas. Ficaria muito ruim se os clubes não deixassem a competição terminar. Deixar uma lacuna. Faltava 40% para terminar o campeonato, no ano que vem a detentora dos direitos de televisão poderia descontar os 40% que faltou desse ano. Com certeza temos que avaliar essa parte financeira”, explicou.

Segundo Fonseca, a data estipulada para o início da competição é 15 julho. “A apresentação dos atletas temos que conversar com a comissão técnica para ver se será entre 20 e 25 de junho, para estarmos preparados. Vamos aguardar até lá, como vai estar a pandemia. Daqui a pouco pode chegar dia 15 e ter que estender até 30 de junho ou 10 de agosto, não sabemos. Mas teve o pontapé inicial”, disse.

Voto favorável
“Nos manifestamos em relação à 2009, a condição do Brasil com o acidente quando não teve unanimidade. Aquele momento foi um momento, agora é outro momento e outra situação. Nós entendemos que era essa situação que tínhamos que votar. Temos que trabalhar em cima da razão. Não foi só eu que decidi isso. Teve o voto do Giovanni Alcântara, do Renato Moreira, do próprio Cruz, que é o presidente do conselho. Todos entenderam que a melhor forma era essa”, falou.

Contratações
“Na verdade vai ser amistoso né. Já está decidido que não vai ter rebaixamento, mas podemos trabalhar em cima de classificações para as quartas de final, enfim… O Brasil vai fazer algumas contratações para o Brasileiro da Série B. Os clubes que disputam os nacionais vão acabar fazendo as contratações para o Brasileiro e vai ter uma forma de treinar os jogadores no Gauchão”, disse.

Começo dos treinos
“Estamos com total apoio à Paula (Mascarenhas, prefeita), acho que ela está com total razão. Esse momento não é o de retornarmos os treinamentos. A situação ainda está grave. A hora que entendermos que podemos voltar, com certeza ela dará o poder favorável”, afirmou.

Situação financeira
“Está bem complicada a situação, baixou o número de sócios que é o normal. A gente entende por toda a situação e por todo o desemprego. A própria Globo mandou uma parcela menor, tinha que ser a integral e mandou menos. O Banrisul também puxou o freio e não pagou o patrocínio. Assim que o clube voltar a jogar futebol volta os patrocínios. Temos que ver com os atletas depois como vai ser essa situação”, disse.

Deixe uma resposta