Foto: Victor Lannes

Em meio a incertezas se Ricardo Fonseca permaneceria ou não na presidência do Brasil, ele confirmou a saída ao cronista Sérgio Cabral nesta terça-feira (18).

Segundo Cabral, o dirigente afirmou que só espera acertar compromissos financeiros com jogadores em relação aos prêmios e pendências com funcionários para pedir o seu afastamento do clube.

A decisão da saída antes do prazo legal (haveria eleição em setembro deste ano) foi tomada por razões pessoais e familiares. “Acho que minha missão foi cumprida e longa. Agora, chegou no limite. Fiz o máximo pelo clube e atingimos as metas neste longo período”, disse Fonseca, que esteve à frente do Xavante durante quase oito anos.

Há alguns meses, o presidente estava sendo alvo de críticas e até ameaças. Em entrevista recente, ele chegou a se manifestar sobre o assunto. “Se acha que tá ruim é só pegar”, disse na ocasião.

Ele ainda completou, afirmando que chegou ao seu limite. “Para alguns, só as vitórias interessam. Para outros, é pressão para eu continuar. Misturaram as coisas, minha família, o nosso trabalho, não é possível isto. Deu!”, falou.

A saída não ocorrerá ainda nos próximos dias, Fonseca aguarda os repasses de verbas da CBF para então entregar a carta de demissão ao Conselho Deliberativo.

Deixe uma resposta