O Rede Esportiva pediu aos torcedores xavantes, através do Facebook, para enviarem suas opiniões sobre as primeiras rodadas do rubro-negro na Série B do Brasileiro. Confira os cinco comentários selecionados.

Miguel Brock

“Os jogadores não têm muita qualidade, assim como o plantel. RZ pedia tanto um 9, agora tem um no elenco e não é usado, tem um camisa 10 nato no elenco, não é usado. RZ é ídolo, mas algumas escolhas dele não estão dando para entender. Têm sim jogadores no mercado para serem contratados, o Brasil tem que ser arrojado nas contratações, não pode ter medo. Têm jogadores que estão desde o final do ano passado sem contrato, como por exemplo Michel Bastos, Rafael Moura, Pedro Botelho (jogou no Athletico-PR, já passou por Arsenal, entre outros, e jogou a Série B no ano passado). Se não for arrojado nas contratações, cair para Série C cada vez fica mais iminente.”

Nerci Ossanes

“Não vejo nessa Série B grandes equipes. Temos um elenco que, no meu entender, está mal escalado. Disse e repito: time de interior não poderia se arriscar jogando com extremas porque falta qualidade técnica. Jogando simples no 4-4-2 o meio-campo aparece mais e cria mais pelo fato de ter um segundo meia armador, aquele terceiro homem de meio-campo. Basta ver como o Caxias se apresentou, com Gava e Diego Miranda. Aliás, quando esses estiveram por aqui organizaram nosso time. Já tinha sido assim quando o Pereira ganhou o reforço do Maicon Assis. Dois volantes, dois meias de aproximação e dois atacantes. Simples! Mas, estamos nas mãos do Rogério e suas convicções!!”

Francisco De Paulo Medeiros Ribas

“Acho que ainda vamos nos recuperar, veja que perdemos sempre no detalhe, uma hora a coisa vira pro nosso lado.”

Renato Machado

“Falta ajustar algumas peças. O RZ tem que colocar os jogadores nas posições que sabem jogar, e não nas que não sabem. Principalmente isso!”

Douglas Ribes Zibetti

“Tem que fazer uma limpa geral, avaliar desde a presidência até o cargo mais baixo, pra ver quem deve permanecer. Abrir as contas e valorizar a base no profissional.”

Deixe uma resposta