Imagem: reprodução

Que o nome de Pelé já esteve associado ao Brasil, quando o Santos tentou buscar no Xavante o meia Joaquinzinho, muitos já sabem. Mas que a história de Garrincha também já cruzou com a rubro-negra, isso nem tanta gente sabia.

Nesta sexta (2), uma reportagem de José Finkler e Rafael Diverio em GaúchaZH relembra a passagem do craque pelo futebol gaúcho. Inusitada, ela fez com que o ídolo da Seleção Brasileira vestisse em 1969 as camisas do Novo Hamburgo e do Riograndense-RG. E foi com a camisa do time rio-grandino que a história de Mané acabou cruzando com o Xavante.

Segundo a reportagem, a direção do Riograndense investiu 1,5 mil cruzeiros novos (o equivalente a R$ 25 mil) para contar com Garrincha no amistoso – contra o Brasil – de celebração dos 60 anos do clube. Sucesso no que se refere à ação de marketing, já que o Estádio Torquato Pontes lotou para o confronto, o reforço de Garrincha do ponto de vista técnico, porém, acabou não fazendo tanta diferença.

Nico, maior ídolo da história do Riograndense, até disse à GaúchaZH que recorda uma grande jogada do craque famoso pelos dribles desconcertantes. Mas o jornal Rio Grande, pelo que conta a reportagem, considerou discreta a atuação de um dos maiores nomes da história do futebol.

O duelo entre Riograndense e Brasil, em 6 de julho de 1969, terminou empatado em 0 a 0.

Deixe uma resposta